‘Serões de Camilo’ no Teatro Nacional de São João

com 1 comentário

No dia em que o recital ‘Serões de Camilo’ chegar ao Salão Nobre do TNSJ (16 de Março, às 21h) cumpre-se o 193.º aniversário do nascimento de Camilo Castelo Branco, “mestre da língua” e “supremo romancista do doido amor”, nas palavras de Teixeira de Pascoaes.

A soprano Sara Braga Simões – foi a Perceptora de The Turn of the Screw, ópera de Benjamin Britten que Ricardo Pais aqui encenou em 2001 – e o pianista Rui Martins prestam homenagem ao escritor oitocentista, nascido a 16 de março de 1825, tomando como ponto de partida os livros que ele leu e a música que ele ouviu. Na primeira parte, revisitam-se palavras de Almeida Garrett, Lamartine, Victor Hugo e Lord Byron musicadas por, entre outros, Lopes-Graça, Bizet ou Liszt.

Depois, somos convidados a escutar árias de Verdi (Rigoletto), Bellini (I Puritani, La Sonnambula) e Rossini (O Barbeiro de Sevilha). Óperas que Camilo viu e ouviu repetidas vezes no Real Teatro de São João (1789-1908), lugar onde inaugurou, com o seu famoso e infame cornetim de lata, um novo tipo de pateada, na contenda que em 1849 opôs os partidários de Clara Belloni e os defensores de Adèle Dabedeille, duas primas-donas de então.

Mais informações aqui.

 

Um comentário

  1. Da banda musical, que dizer? tudo a meu gosto!
    Celebrar Camilo Castelo Branco, desta forma e deste jeito… maravilhoso.
    Parabéns, tantos!

Comentar