‘O Cinema Não Morreu’ apresentado na Cinemateca Portuguesa

com Sem comentários

A antologia “O Cinema Não Morreu: Crítica e Cinefilia À Pala de Walsh”, com introdução pelos editores, Carlos Natálio, Luís Mendonça e Ricardo Vieira Lisboa, editado pela A Linha de Sombra, tem sessão de apresentação agendada para o dia 21 de Dezembro, pelas 18h30, na Cinemateca Portuguesa.

Mais de 350 páginas, com cerca de 80 textos redigidos ao longo dos cinco anos de existência do site de cinema À pala de Walsh (estes textos serão um exclusivo do livro). Estará representado nestas páginas um total de 22 walshianos, uma equipa de cinéfilos devotada à prática da escrita, pessoal e implicada, sobre o fenómeno do cinema.

Sobre o livro:
“É muito simples o que com esta introdução queremos dizer, cinco anos volvidos desde o primeiro post publicado a 15 de Julho de 2012, um texto a oito mãos e agora aqui publicado «O Que é a Crítica de Cinema?». Seja À pala de Walsh, à pala de João Bénard da Costa ou, muito simplesmente, à pala do cinema, o que esperamos é que depois deste livro — que reúne parte simbólica e importante da nossa produção ao longo destes anos —, este projecto possa continuar por muitos mais anos, mesmo depois de nós. À pala de uns e de outros que amam o cinema e sobretudo pensam, criam, a partir do que despertam em nós as imagens que nos habitam.”

Sobre o site:
O À pala de Walsh é um site de cinema fundado em Julho de 2012 por quatro cinéfilos. Os “bloguers” Carlos Natálio, João Lameira, Luís Mendonça e Ricardo Vieira Lisboa juntaram-se e lançaram as primeiras sementes de uma comunidade composta por investigadores académicos, jornalistas, programadores e jovens cineastas. Muito mais do que um site, o À pala de Walsh é um colectivo, que escreve e experimenta sobre a forma-cinema, ao mesmo tempo que tem organizado eventos variados, desde tertúlias a ciclos de cinema. A revista francesa Cahiers du cinéma (Dezembro de 2015) considerou o À pala de Walsh o site de cinema “mais importante em Portugal”.

Comentar