Yvette K. Centeno

com Sem comentários

Escritores > Yvette K. Centeno

Data Nasc: 07/02/1940 Naturalidade: Lisboa

Na web: Site Blog Facebook


Yvette Kace Centeno nasceu em Lisboa, em 1940, numa família de origem germano-polaca.

Licenciada em Filologia Germânica pela Faculdade de Letras de Lisboa, com uma dissertação sobre O homem sem qualidades, de Musil, e doutorada com uma tese sobre A alquimia no Fausto, de Goethe.

Em 1974 passa a dar aulas na Universidade Nova de Lisboa, onde foi, mais tarde, professora catedrática na área de Literatura Comparada e Coordenadora do Departamento de Estudos Alemães. Fundou e dirigiu o Gabinete de Estudos de Simbologia, assim como o núcleo de estudos Teatro e Sociedade.

Estreou-se, em 1961, com a publicação do livro de poesia “Opus 1”. Um ano mais tarde, lança o romance “Quem, Se Eu Gritar”. Seguiram-se “Não Só Quem Nos Odeia” (1964), “As Palavras, Que Pena” (1972), que formavam com o primeiro uma espécie de trilogia.

Tem publicado literatura infantil, ensaio de investigação, poesia, teatro e ficção, com romances como Três histórias de amor (1994), Os jardins de Eva (1998) e Amores secretos (2006), tendo parte da sua obra traduzida em França, Espanha e Alemanha. Entre os autores que traduziu contam-se Shakespeare, Goethe, Stendhal, Brecht, Celan e Fassbinder.

Foi co-fundadora do CITAC, de Coimbra, um dos mais importantes grupos de teatro universitário. Desde então, para além da escrita para teatro, acompanha a actividade teatral do país, tendo sido convidada para o Conselho de Teatro (1987) e nomeada directora do I Festival Internacional de Teatro (Lisboa, 1991). Foi directora do Serviço ACARTE da Fundação Calouste Gulbenkian.

Bibliografia:

Opus 1 (ática) poesia, 1961
Quem Se Eu Gritar (ática) romance, 1962
O Barco na Cidade (guimarães) poesia, 1965
Não Só Quem Nos Odeia (portugália) romance, 1966
Poemas Fracturados (guimarães) poesia, 1967
As Palavras, Que Pena (ática) romance, 1972
Irreflexões (ática) poesia, 1974
Teatro Aberto (ática) peças de teatro, 1974
5 Aproximações (ática) ensaios, 1975
A Simbologia Alquímica no Conto da Serpende Verde de Goethe(univ. nova de lisboa) ensaio, 1976
Sinais (inova) poesia, 1977
Fernando Pessoa: Tempo, Solidão e Hermetismo (moraes) ensaio coautoria Stephen Reckert, 1978
Símbolos de Totalidade na Obra de Herman Hesse (a regra do jogo) ensaio, 1978
Algol (o oiro do dia) poesia, 1979
Saudades do Paraíso (moraes) peça em um acto, 1980
Viagem de “Os Lusíadas”: Símbolo e Mito (arcádia) ensaio coautoria vários, 1981
A (Más)cara Diante da Cara (arcádia) ensaios cautoria vários, 1982
Peças Bem Comportadas (&etc) peças de teatro, 1982
O Miguel e o Gigante (bertrand) conto infantil, 1982
Era Uma Vez Uma Maçã (plátano) conto infantil, 1982
Perto da Terra (presença) poesia, 1983
No Jardim das Nogueiras (betrand) romance, 1983
A Alquimia e o Fausto de Goethe (arcádia) ensaio, 1983
A Alquimia do Amor (a regra do jogo) ensaios, 1983
Fernando Pessoa: O Amor, A Morte, A Iniciação (a regra do jogo) ensaios, 1984 – Distinguido com o Prémio Jacinto do Prado Coelho
Fernando Pessoa e a Filosofia Hermética (presença) ensaios, 1985
As Muralhas (&etc) ficção, como Bárbara Escrava, 1986
Literatura e Alquimia (presença) ensaios, 1987
Matriz (presença) romance, 1988
Fernando Pessoa: Os Trezentos e Outros Estudos (presença) ensaios, 1988
O Pensamento Esotérico de Fernando Pessoa (&etc) ensaio, 1990
As Três Cidras do Amor (cotovia) teatro infantil, 1991
A Arte de Jardinar: No Símbolo do Texto Literário (presença) ensaios, 1991
Tratado do Vitríolo dos Filósofos (salamandra) ensaios, 1993
Portugal: Mitos Revisitados (salamandra) ensaios coautoria vários, 1993
Três Histórias de Amor (asa) romances, 1994
Será Deus o Dr. Freud? (o escritor) teatro, 1995
Hermetismo e Utopia (salamandra) ensaios, 1995
O Pecado Original (o escritor) teatro, 1997
Entre Silêncios (pedra formosa) poesia, 1997
A Oriente (presença) poesia, 1998
Os Jardins de Eva (asa) romance, 1998
Canções do Rio Profundo (asa) poesia, 2002
Fernando Pessoa: Magia e fantasia (asa) ensaio, 2004
Amores secretos (porto editora), 2006
O Príncipe no Reino dos Lagartos (porto editora), 2008
Teatro e Sociedade (ed.Univ.Lusófonas), 2011
Do Longe e do Perto (sextante), 2011
O outro lado da lua (ed. estampa), 2012
Lendas e Bruxarias: Contos para a Infância e Juventude (ed.autor), 2017
No Rio da Memória (ed. autor), 2017
Outonais: Poemas 2005-2011 (ed. autor), 2017

 


Principais Obras Publicadas

Histórias para a infância e juventude recuperando lendas tradicionais e o simbolismo de um imaginário de sempre.

No Rio da Memória
2017, Edição de Autor

Dois velhos amigos tavirenses encontram-se numa esplanada à beira do rio Gilão. Começam uma conversa evocadora do passado que servirá de exercício de escrita criativa a Bárbara, a narradora.

Algol / Sinais
2017, Edição de Autor (reedição)

Estes poemas foram escritos na década de 70, durante um verão no Algarve em que as praias eram praias, os pinhais eram pinhais, e nas açoteias das casas, à noite, se podiam ler as estrelas e os seus sinais.

Outonais: Poemas 2005-2011
2017, Edição de Autor

Ciclo de poemas de inspiração outonal, com alguma melancolia evocativa dessa estação.

O Outro Lado da Lua
2012, Estampa

Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para alunos do 5º e 6º anos sem hábitos de leitura, destinado a leitura orientada. Descubra através das magníficas ilustrações de Pedro Gama e das personagens de Yvette K. Centeno, o fascínio pelo outro lado da lua.

Do Longe e do Perto
2011, Sextante Editora

Este romance-quase um diário, ou diário-quase romance, como queiram, nasceu de um blog em que quase por desfastio comecei a escrever. Com o passar do tempo (demorei alguns anos), verifiquei que entre leituras de outros ou de outros sobre o que eu ia escrevendo, discussões literárias atravessadas por episódios do … Ler mais

Teatro e Sociedade
2008, Edições Universitárias Lusófonas

Relação do Teatro com a sociedade actual.

O que me leva a fazer uma escolha de alguns estudos que já publiquei sobre Fernando Pessoa é o facto de terem deixado de ser acessíveis a estudantes e estudiosos que se dedicam à obra mais oculta do planeta. (…)Há um “mal de Pessoa”, algo que nos infiltra como uma … Ler mais

«’As Três Cidras do Amor’ é uma peça de teatro baseada num conto infantil e escrita por Yvette K. Centeno. O livro conta a história de um rei que procura, incessantemente, uma noiva para o seu único filho. Todavia, este último só se interessa por caça. Numa das suas caçadas, … Ler mais

Este volume reúne vários estudos de Y. K. Centeno sobre o pensamento hermético de Fernando Pessoa, integrando ensaios inéditos como Álvaro de Campos: a Carroça de Tudo pela Estrada de Nada, Bilinguismo e Criatividade e A Filosofia Hermética na Obra de Fernando Pessoa. A matéria referente à Ordem de Templo … Ler mais


Comprar livros de Yvette K. Centeno: VER LIVRARIAS


Notícias do escritor

De momento, não temos noticias sobre este escritor.

Comentar