Vitorino Nemésio

com Sem comentários

Escritores > Vitorino Nemésio

Data Nasc: 19/12/1901 Naturalidade: Praia da Vitória, Ilha Terceira, Açores

Na web:


Vitorino Nemésio Mendes Pinheiro da Silva, nasceu na Ilha Terceira, Açores, a 19 de dezembro de 1901.

Em 1916 fundou a revista literária “Estrela d’Alva”, ano em que publica o seu primeiro livro de poesia, Canto Matinal. Em 1921, em Lisboa, foi redactor dos jornais “A Pátria”, “A Imprensa de Lisboa” e “Última Hora”. Em 1922 concluiu o liceu em Coimbra, ingressou na Faculdade de Direito e no ano seguinte começou a colaborar na revista “Bizâncio” de Coimbra.

Em 1924 abandonou o curso de Direito e matriculou se na Faculdade de Letras, em Ciências Histórico Geográficas. Foi co-fundador da revista “Tríptico”. Em 1925 torna-se redator principal do jornal “Humanidade”, quinzenário de Estudantes de Coimbra. Em 1926 foi co-fundador e diretor do jornal “Gente Nova”, jornal republicano académico. A partir de 1928 passou a colaborar na revista “Seara Nova”.

Em 1930 colaborou na revista “Presença”, com textos poéticos e transferiu-se para a Faculdade de Letras de Lisboa, começando a pesquisa sobre Herculano, estudo que o ocupou até ao fim da vida.
Licenciou se na Faculdade de letras de Lisboa em 1931 e ali lecionou Literatura Italiana e dois anos depois, Literatura Espanhola. Em 1934, doutorou-se em Letras, com “A Mocidade de Herculano até à Volta do Exílio”.

Em 1935 colaborou no jornal “O Diabo” com vários poemas. Em 1937 fundou e dirigiu, em Coimbra, a “Revista de Portugal”. No mesmo ano, partiu para a Bélgica, e leccionou na Universidade Livre de Bruxelas, tendo regressado a Portugal, dois anos mais tarde, para leccionar na faculdade de Letras de Lisboa.

Colaborou nos “Cadernos de Poesia”, na revista “Variante”, na revista “Aventura” e na revista “Litoral”.

Em 1944 foi editada a primeira edição de O Mau Tempo no Canal, que recebeu no ano seguinte o Prémio Ricardo Malheiros da Academia das Ciências.

Em 1946 iniciou a sua colaboração no jornal “Diário Popular” e na revista “Vértice”.

Em 1952 viajou pela primeira vez para o Brasil, que se tornou um destino frequente. De 1956 a 1958 foi director da Faculdade de Letras de Lisboa e a partir de 1958, começou a leccionar no Brasil.

Em 1961 foi feito Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique e em 1967, Grande-Oficial da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada

Em 1965 foi doutorado honoris causa pela Universidade Paul Valery, de Montpellier, e no mesmo ano recebeu o Prémio Nacional de Literatura, pelo conjunto da sua obra.

Iniciou em 1969 uma colaboração regular na RTP com o programa “Se bem me lembro”. Em 1970 inaugurou as comemorações do centenário da “Geração de 70” no Centro Cultural Português de Paris, da Fundação Calouste Gulbenkian.

Iniciou em 1971 a sua colaboração regular na revista “Observador” e em dezembro desse ano, proferiu a sua “Última Lição” na Faculdade de Letras de Lisboa, onde lecionou durante quase quarenta anos.

Em 1974 recebeu o Prémio Montagine, da Fundação Freiherr von Stein/Friedrich von Schiller, de Hamburgo. No mesmo ano, a Bertrand lançou a primeira coletânea de estudos sobre a obra de Nemésio. Em 1975 Em Dezembro, assumiu a direcção do jornal “O Dia”. Em 1977 foi coordenador nacional do centenário de Herculano.

Vitorino Nemésio tem as suas obras traduzidas em italiano, francês, inglês e alemão, entre outras.

Vitorino Nemésio faleceu, em Lisboa, a 20 de fevereiro 1978, e foi sepultado em Coimbra.

Foi agraciado, em agosto de 1978, a título póstumo a Grã-Cruz da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada.

Em 1978, a Câmara Municipal de Lisboa homenageou o escritor dando o seu nome a uma rua na zona da Quinta de Santa Clara. É patrono da Escola Secundária Vitorino Nemésio na Praia da Vitória. Também na Praia da Vitória está a Casa Vitorino Nemésio, espaço museológico.

Principais Obras Publicadas:

Poesia

Canto Matinal, 1916

Nave Etérea, 1922

O Bicho Harmonioso, 1938

Eu, Comovido a Oeste, 1940

Nem Toda a Noite a Vida, 1953

O pão e a Culpa, 1955

O Verbo e a Morte, 1959

Poesia (1935-1940), 1961

O Cavalo Encantado, 1963

Ode ao Rio, ABC do Rio de Janeiro, 1965

Canto de Véspera, 1966

Poemas Brasileiros, 1972

Limite de idade, 1972

Sapateia Açoriana, Andamento Holandês e Outros Poemas, 1976

Caderno de Caligraphia e outros Poemas a Marga, 2003 (póstumo)

Ficção

Paço do Milhafre, 1924

Varanda de Pilatos, 1926

A Casa Fechada, 1937

Mau Tempo no Canal, 1944

O Mistério do Paço do Milhafre, 1949

Quatro prisões debaixo de armas, 1971

Teatro

Amor de nunca mais, 1920

Crónicas e Viagens

O Segredo de Ouro Preto e Outros Caminhos, 1954

Corsário das Ilhas Notas de Viagens às Ilhas dos Açores, 1956

Viagens ao Pé da Porta, 1965

Jornal do Observador, 1973

Era do Átomo Crise do Homem, 1976.

Biografia e Ensaio

Sob os Signos de agora Temas Portugueses e Brasileiros, 1932.

A Mocidade de Herculano até à Volta do Exílio (1810-1832), 1934

Isabel Aragão, Rainha Santa, 1936

Relações Francesas do Romantismo Português, 1936

Vida de Bocage, 1943

Perfil de Adolfo Coelho, 1948.

Destino de Gomes Leal Poesias Escolhidas, 1952.

Vida e Obra do Infante D. Henrique, 1959

Problemas Universitários Luso Brasileiros, 1955

O Retrato do Semeador, 1958

Elogio Histórico de Júlio Dantas, 1965

Quase Que os Vi Viver, 1985.


Principais Obras Publicadas

Caderno de Caligraphia e Outros Poemas a Marga
2003, INCM - Imprensa Nacional-Casa da Moeda

Um livro inédito de Vitorino Nemésio (1901-1978), com edição de Luiz Fagundes Duarte, que também assina o prefácio à obra. E ali explica o percurso deste livro, que reúne cerca de 130 poemas do autor de “Mau Tempo no Canal”. Nemésio escreveu estes poemas entre Março de 1973 e Maio … Ler mais

Crónicas, notas de viagem, pequenos ensaios.

Poesia 1935-1940
1961, Bertrand
Vida e Obra do Infante D. Henrique
1959, [Reed. 2010, Texto Editores]

Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para o Ensino Secundário como sugestão de leitura. Não se há-de entender tanto por biografia pura e resenha de feitos pessoais como por narrativa sumária da empresa histórica portuguesa desenrolada na contemporaneidade do Infante e seus tempos mais próximos, e não menos historicamente projectada … Ler mais

O Retrato do Semeador
1958, Livraria Bertrand
Festa Redonda
1950, Livraria Bertrand

Décimas e Cantigas de Terreiro Oferecidas ao Povo da Ilha Terceira.

O Mistério do Paço do Milhafre
1949, Livraria Bertrand
Ondas Médias
1945, Livraria Bertrand
Mau Tempo no Canal
1944, Livraria Bertrand

Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para o Ensino Secundário como sugestão de leitura. O namoro entre João Garcia, filho de uma família sem títulos, e Margarida Clark Dulmo, a mais nova de uma família aristocrata respeitada, é a trama deste celebrado romance de Vitorino Nemésio, «Mau Tempo no Canal». … Ler mais

Isabel de Aragão, Rainha Santa
1936, [Reed. 2011, Texto Editores]

Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para apoio a projetos relacionados com a História de Portugal no 3º ciclo. Desde tenra idade mostrou gosto pela religião, tendo promovido uma série de obras pias, fundando ou ajudando à fundação de hospitais (Coimbra, Santarém, Leiria),a silos e albergarias (Leiria, Odivelas), mosteiros, capelas … Ler mais

A Mocidade de Herculano
1934, Livraria Bertrand

A Mocidade de Herculano. Até à volta do exílio (1810-1832).


Comprar livros de Vitorino Nemésio: VER LIVRARIAS

Comentar