Vasco Graça Moura

com Sem comentários

Escritores > Vasco Graça Moura

Data Nasc: 03/01/1942 Naturalidade: Porto

Na web: Site


Poeta, ensaísta, ficcionista, dramaturgo, cronista e tradutor.

Vasco Navarro da Graça Moura nasceu na Foz do Douro, Porto, a 3 de janeiro de 1942.

Formou-se pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, em 1966.

Depois de ter exercido advocacia, Vasco Graça Moura desempenhou vários cargos públicos: foi membro de dois Governos Provisórios em 1975, diretor do Primeiro Canal da RTP (1978), administrador da Imprensa Nacional-Casa da Moeda (1979-1989) e comissário-geral para as comemorações dos Descobrimentos Portugueses (1989-1995). A partir de 1996, dirigiu o Serviço de Bibliotecas e Apoio à Leitura da Fundação Calouste Gulbenkian. Vasco Graça Moura foi, também, colaborador de jornais, revistas e de canais de televisão.

Tem muitas das suas obras traduzidas para italiano, francês, alemão, sueco e espanhol.

É autor de numerosos ensaios, alguns deles premiados, e de diversas traduções literárias.

Escreveu e apresentou na televisão programas de poesia, em 1978 e 1985.

Vasco Graça Moura foi distinguido com vários prémios, entre os quais o Prémio Pessoa (1995), o Prémio de Poesia do PEN Clube (1997) e o Grande Prémio de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores (1999). Em 1997 foi-lhe atribuída a Medalha de Ouro da Cidade de Florença pelas suas traduções de Dante. Em 2004, vence a Coroa de Ouro do Festival de Poesia de Struga (Macedónia), sendo o primeiro poeta português a ser distinguido com este prémio. Em 2007, recebeu o Prémio Max Jacob para Poesia Estrangeira. Em 2008, foi distinguido com o Prémio Tradução do Ministério da Cultura italiano pelas traduções de Dante e de Petrarca.

Foi membro efetivo da Académie Européenne de Poésie (Luxemburgo).

Em 2012, tornou-se presidente do conselho de administração da Fundação Centro Cultural de Belém (FCCB).

Faleceu, em Lisboa, a 27 de abril de 2014.


Principais Obras Publicadas

de Rainer Maria Rilke e Vasco Graça Moura «Excelente formulação para designar aquilo que também entendo dever/poder ser a tradução do poema: uma orquestração de soluções próprias e uma rede funcional de traições, para que o resultado seja, como se costuma dizer e como convém nestes casos, um poema em português. Vasco Graça … Ler mais

Retratos de Camões
2014, Editora Guerra & Paz

Uma obra onde Vasco Graça Moura interpela e faz uma reflexão verdadeiramente fascinante das imagens clássicas e contemporâneas de Camões mas que ao mesmo tempo permite ao leitor a sua análise e discussão. A obra inclui as imagens de Camões cedidas graciosamente por Júlio Pomar, João Cutileiro, José Aurélio e … Ler mais

A Identidade Cultural Europeia
2013, Fundação Francisco Manuel dos Santos

A história da Europa não é linear e também não o é a sua identidade possível. Entre contradições e conflitos, dúvidas e colapsos, inquietações e incertezas, realizações e descobertas, uma certa necessidade de transcendente que é sentida pelas sociedades tem evoluído.

Reúne-se neste volume algumas dezenas de textos de índole mais ou menos ensaística que o autor escreveu nos últimos vinte e tantos anos, e que tanto foram feitos por ocasião de entregas de prémios e homenagens, como serviram para apresentar ou prefaciar livros, funcionaram como base de comunicações e conferências … Ler mais

Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para o 8º ano de escolaridade, destinado a leitura orientada. Um livro admirável em que Vasco Graça Moura, um dos mais destacados poetas portugueses, dialoga, em verso, com o texto camoniano, iluminando, esclarecendo e exaltando o canto originário. Através de um perfeito equilíbrio entre … Ler mais

“É um privilégio revisitar a cidade através da leitura destes poemas de Vasco Graça Moura. Lidos assim, reunidos, seja qual for a ordem por que os lemos e até a ordem por que foram escritos ao longo de quase meio século, traçam um percurso sedutor, que nos envolve em cada … Ler mais

poesia reunida – vol.2
2012, Quetzal Editores

Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para a Formação de Adultos como sugestão de leitura. No ano em que se comemoram os 50 anos de vida literária de Vasco Graça Moura, a Quetzal publica a totalidade da sua poesia em dois volumes de Poesia Reunida. Vasco Graça Moura dispensa apresentações: autor … Ler mais

poesia reunida – vol. 1
2012, Quetzal Editores

Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para a Formação de Adultos como sugestão de leitura. No ano em que se comemoram os 50 anos de vida literária de Vasco Graça Moura, a Quetzal publica a totalidade da sua poesia em dois volumes de Poesia Reunida. Vasco Graça Moura dispensa apresentações. É autor … Ler mais

O livro de Natal para a Fundação Champalimaud, este ano dedicado à poesia portuguesa e à sua relação com os temas da ciência, desde o século XVI aos dias de hoje. Tratando-se de dois temas tão distantes mas, ao mesmo tempo, com tantos pontos de contacto, Vasco Graça Moura e … Ler mais

Inclui um desenho de Álvaro Siza e um poema de Marta Cristina de Araujo «A vida tem-me tratado bem desde o berço, a meninice e por aí fora até agora, nesta minha sorridente, mais repousada e confortavelmente instalada veterania de três vezes vinte cinco anos. Por isso sempre estive de … Ler mais

Sonetos de Shakespeare
2011, Bertrand Editora [reed. 2016, Quetzal]

Os cento e cinquenta e quatro (154) sonetos de William Shakespeare na sua versão integral traduzidos pelo poeta, ensaísta e grande tradutor dos clássicos Vasco Graça Moura. Nos Sonetos, o tempo trai a beleza e as pompas, a velhice trai a juventude, o amigo trai o amigo, o homem trai … Ler mais

Os Desmandos de Violante
2011, Alêtheia Editores

A novela Os Desmandos de Violante é a terceira parte de uma sequência iniciada por Vasco Graça Moura em 2008, com O Pequeno-Almoço do Sargento Beauchamp, a que se seguiu, em 2010, O Mestre de Música. Este ciclo narrativo, cuja acção decorre entre 1807 e 1814, perfaz uma trilogia a que o autor resolveu … Ler mais

A Divina Comédia
2011, Quetzal Editores

Longo poema épico e teológico, A Divina Comédia divide-se em três partes: o Inferno, o Purgatório e o Paraíso. Não há uma datação exacta da obra, mas presume-se que tenha sido escrita entre 1304 e 1321, ano da morte de Dante. A Divina Comédia foi escrita em língua toscana – muito próxima do … Ler mais

O Mestre de Música
2010, Alêtheia Editores

Uma nova novela (a décima primeira) de Vasco Graça Moura, no seguimento de O Pequeno-Almoço do Sargento Beauchamp, publicada em 2008.

366 Poemas Que Falam de Amor
2009, Quetzal Editores

Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para o Ensino Secundário como sugestão de leitura. A reunião de 366 poemas – um para cada dia – sobre o amor. Grandes poetas escolhidos por um grande poeta. Nada há de tão natural no mundo da poesia como o tema do amor. Vasco … Ler mais

Diálogo com (Algumas) Imagens é um conjunto de reflexões sobre a arte (pintura e escultura) e os seus intérpretes, detendo-se Vasco Graça Moura sobre artistas plásticos onde toma como ponto de partida uma determinada obra (ou o conjunto da obra) de alguns dos mais significativos criadores do universo cultural português. … Ler mais

O Caderno da Casa das Nuvens
2009, Edições Afrontamento

Após uma pequeníssima edição de autor, para distribuição aos amigos, este conjunto de poemas inéditos chega agora ao grande público leitor.

Alfreda ou a Quimera
2008, Bertrand Editora

Alfreda ou a Quimera é a história de uma obsessão, de uma paixão por uma bela e misteriosa mulher com quem o protagonista deste romance – um bibliófilo portuense – se relaciona intima e fugazmente. Essa paixão passa a reger a sua vida, os seus interesses, os seus actos, os seus … Ler mais

Nesta obra reúnem-se as intervenções principais e recentes de Vasco Graça Moura críticas ao Acordo Ortográfico de 1990, um contributo na sua «tripla» qualidade de escritor, de cidadão e de político para a discussão em torno desta questão fundamental que será discutida e votada no Parlamento português a 15 de … Ler mais

Mais de quarenta histórias natalícias da pena dos grandes clássicos portugueses dos séculos XIX e XX, escolhidas por Vasco Graça Moura. Ramalho Ortigão, Eça de Queirós, Fialho de Almeida, Raul Brandão, Aquilino Ribeiro, Ferreira de Castro, José Régio, Vitorino Nemésio, Gaspar Simões, Miguel Torga, Alves Redol, Sophia de Mello Breyner, Jorge … Ler mais

Morte no Retrovisor
2008, Quetzal Editores

Um menino obcecado por um periquito azul, enquanto graves coisas se vão passando; uma conversa na oficina de António Gonçalves, o impressor de Os Lusíadas; o reencontro fatal de um casal suburbano desavindo; um maestro fatigado que se deixa adormecer à beira-mar; uma história de sexo, assassínio e talvez espionagem; Graham … Ler mais

A acção desta novela, décima obra de ficção de Vasco Graça Moura, decorre durante a primeira invasão francesa, na confusa situação gerada pela presença das tropas napoleónicas em Portugal. A vida, os amores e os projectos de futuro de Jacinto Negrão Bezerra de Albuquerque, na Lisboa agitada de 1808, são-nos … Ler mais

«Com pedaços de fita adesiva, cola-se ao tapume este retrato de menina, de luz contente nos olhos, quente enlevo do afago dos pais, sorriso de olhar barcos de brincar na areia, ao sol, entre as palmeiras balouçando ao vento. Escrito à mão: “o corpo foi encontrado”. Inútil continuar a procurar … Ler mais

Os Triunfos de Petrarca
2004, Bertrand Editora

Depois da tradução inédita e integral para português, pelos 700 anos do nascimento do poeta italiano, de “As Rimas de Petrarca”, Vasco Graça Moura traduz “Os Triunfos” do mesmo pensador, que se tornaram populares e foram objecto de dezenas de edições nos séculos XV e XVI. Estes escritos tiveram uma … Ler mais

Por Detrás da Magnólia
2004, Quetzal Editores [reed. 2008, Bertrand Editora]

Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores 2004 A acção do livro decorre em Gouvães, aldeia do Alto Douro (de onde é oriunda a família materna do autor) que VGM conhece desde que nasceu e onde passava as férias grandes durante a infância e a adolescência. … Ler mais

Variações Metálicas
2004, Edições Asa

Talvez se possa dizer, sem grandes hesitações perante outros momentos muito altos da poesia de Vasco Graça Moura, que, com Variações Metálicas, estamos perante uma das suas obras maiores. Abra-se o livro logo no início, nas oitavas da oficina, e não mais deixaremos de nos deslumbrar com poesia em que, … Ler mais

As Rimas de Petrarca
2003, Bertrand Editora [reed.2008]

Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para o Ensino Secundário como sugestão de leitura. Em vésperas de se comemorarem os 700 anos do nascimento do poeta e pensador italiano (1304), esta é a primeira tradução integral para língua portuguesa dos Rerum Vulgarium Fragmenta, no título original, obra também conhecida por … Ler mais

Alguns Amores de Ronsard
2003, Bertrand Editora

“…o que singulariza (Ronsard) é precisamente o confronto constante entre erotismo e tempo que passa, entre a variação da condição física e a frustração amorosa, entre o desejo e o corpo da mulher, entre figuras da mitologia clássica e ocorrências do quotidiano, entre simular-se em situação num sem-número de metamorfoses … Ler mais

agora que passaste muito queimada do sol o vento vem pela estrada até à duna com uma folha de jornal desdobrada aos baldões e as vozes dos piqueniques.   tu desceste da moto e foste comprar um gelado, afastando impaciente algumas crianças. era a impostura para a sede, avivada pelos … Ler mais

Antologia dos Sessenta Anos
2002, Edições Asa

“Tratando pois esta antologia como encenação, só acrescentarei que, para mim, o mais complicado do espectáculo é ele corresponder a sessenta anos de idade e a quase quarenta de publicar poesia em livro…”

Figuras em Mateus
2002, Quetzal Editores

Com uma pintura de Jorge Pinheiro

“Nesta antologia não se fala propriamente da antiquíssima relação entre a poesia e a música. Apresentam-se textos que estão relacionados com a música de várias maneiras e não apenas por, neste ou naquele caso, poderem considerar-se mais ou menos ‘melódicos’; ou porque nela procuram metáforas, ou porque tentam encontrar para … Ler mais

O Enigma de Zulmira
2002, Quetzal Editores

O período ditatorial da primeira metade dos anos cinquenta é o cenário deste romance de engenhosa construção.

Com ilustração de Fernando Lanhas

As Botas do Sargento
2001, Quetzal Editores [reed. 2016]

Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para o 6º ano de escolaridade, destinado a leitura autónoma. A Catarina foi contar à Francisca, que a Adélia, a empregada lá de casa, lhe revelara que tinha no sótão, escondidas, umas botas mágicas. As botas pertenciam ao pai, que fora sargento e bailarino, … Ler mais

Meu Amor, Era de Noite
2001, Quetzal Editores

É um romance a várias vozes, Eugénia, Constança, Mateus…, sobre pessoas e o Portugal moderno, “muito bem passado/mal presente”, construído com subtil ironia, trazendo à história o próprio Vasco Graça Moura e a editora do livro, Zita (Seabra) a quem Rita Kantic, pseudónimo de Eugénia, escreve no fim uma carta … Ler mais

Páginas do Porto
2001, Edições Asa
Adamastor, Nomen Gigantis
2000, Edições Afrontamento

Texto de Vasco Graça Moura sobre uma escultura popular de José de Guimarães, acompanhado por esboços e fotografias de obras de José de Guimarães.

Em demanda de Moura: Giraldomachias
2000, Câmara Municipal de Lisboa

Em colaboração com Gérard Castello Lopes  

Poesia 1997/2000
2000, Quetzal Editores

Colectânea de Poesia

Todos os textos reunidos neste volume abordam, com excepção do último, aspectos ligados à História da Cultura Portuguesa do século XVI. Não procuram demonstrar teses alicerçadas com maior ou menor solidez, mas sim problematizar vários pontos em torno dos temas respectivos, muitos deles ainda longe de um esclarecimento satisfatório, e … Ler mais

Poema de Vasco Graça Moura com uma fotografia de Ana Gaiaz

Poema de Vasco Graça Moura ; desenhos de Jorge Pinheiro  

Graça Morais
1998, Quetzal / Galeria 111

Em colaboração com Sílvia Chicó, com fotografia de Roberto Santandreu  

espero que me calhe aquela fava que é costume meter no bolo-rei: quer dizer que o comi, que o partilhei no natal com quem mais o partilhava   numa ordem das coisas cuja lei de afectos e memória em nós se grava nalgum lugar da alma e que destrava tanta … Ler mais

Letras do Fado Vulgar
1997, Quetzal Editores

Livro de poesia  

François Villon nasceu em Paris em 1431. Depois de estudar na Universidade de Paris, esteve envolvido em vários casos de roubo e num episódio em que feriu mortalmente um padre. Preso várias vezes, chegou a ser condenado à morte, mas teve a pena comutada em banimento da cidade de Paris. … Ler mais

Poemas com pessoas
1997, Quetzal

Livro de poesia  

Uma Carta no Inverno
1997, Quetzal Editores

Livro de poesia  

Poemas Escolhidos, 1963-1995
1996, Bertrand Editora

Livro de poemas de autores portugueses

Circunstâncias Vividas
1995, Bertrand Editora

Este livro corresponde a um diário mantido pelo autor ao longo dos anos de 1993 a 1994.

Sonetos Familiares
1994, Quetzal Editores

Livro de poesia  

Partida de Sofonisba
1993, Quetzal Editores [reed. 2012]

Sofonisba, a nobre cartaginesa; Sofonisba, a pintora renascentista; Sofonisba, a historiadora de arte. “Sofonisba. Um nome assim é uma predisposição romanesca”, dirá o narrador desta história, o biógrafo de Pedro de Andrade Caminha, que se vê envolvido no caso do desaparecimento de um quadro do século XVII que representa as … Ler mais

Fernão Gomes e o Retrato de Camões
1989, INCM – Imprensa Nacional Casa da Moeda

Fernão Gomes e o Retrato de Camões – Vasco Graça Moura / Vítor Serrão – Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses/Fundação Oriente/Imprensa Nacional-Casa da Moeda

Naufrágio de Sepúlveda
1988, Quetzal Editores [reed. 2009]

Vasco Graça Moura conta-nos o naufrágio financeiro de um empresário, nas vésperas da Revolução do 25 de Abril (naufrágio de/um Portugal). Os nomes das personagens da família do protagonista, Manuel de Sousa Sepúlveda, coincidem com os nomes da família do infeliz navegador do século XVI, narrado na História Trágico-Marítima. Neste romance, … Ler mais

A Furiosa Paixão pelo Tangível
1987, Quetzal Editores

Livro de poesia

Quatro Últimas Canções
1987, Quetzal Editores [reed. 2009]

Em Quatro Últimas Canções há histórias de amor e de música que se entrelaçam e desenvolvem em contraponto. Nesse contraponto, o jogo de espelhos entre um espaço real e um espaço virtual, as casas de Mateus e de Constantim, respectivamente, abre um quadro cénico que torna possível reenvios, perspectiva e efeitos romanescos … Ler mais

Ronda dos Meninos Expostos
1987, Quetzal Editores

Teatro  

Várias Vozes
1987, Editorial Presença
a sombra das figuras
1985, Edição de Autor

Livro de poesia

Camões e a Divina Proporção
1985, INCM – Imprensa Nacional Casa da Moeda [reed. 1994]
Caderno de Olhares
1983, Edições o Oiro do Dia
Nó Cego, O Regresso
1982, Edições Asa [reed. 2000]

Livro de poesia

21 Poetas Suecos
1981, Vega
Instrumentos para a melancolia
1980, Edições Oiro do Dia

Livro de poesia

José Rodrigues e as armadilhas miméticas
1980, Edições Oiro do Dia
Luís de Camões. Alguns desafios
1980, Vega Universidade
Sequências Regulares
1978, Edições Oiro do Dia

Livro de Poesia

Livro de Poesia

Semana Inglesa
1965, Edição de Autor

Livro de Poesia

Modo Mudando
1963, Edição de Autor

Livro de Poesia


Comprar livros de Vasco Graça Moura: VER LIVRARIAS

Comentar