João Bosco da Silva

com Sem comentários

Escritores > João Bosco da Silva

Data Nasc: 02/05/1985 Naturalidade: Bragança

Na web: Blog Facebook Twitter Instagram


João Bosco da Silva nasceu em Bragança (1985).

Passou a maior parte da sua infância e adolescência em Torre de Dona Chama. Estudou no Porto e vive atualmente na Finlândia.

Publicou os seguintes livros de poesia: Os Poemas de Ninguém (Atelier, 2009), Disse-me António Montes (Mosaico de Palavras, 2010), Bater Palmas E Sete Palmos De Terra Nos Olhos (Mosaico de Palavras, 2011), Saber Esperar Pelo Vazio (Mosaico de Palavras, 2012), Destilações (não edições, 2014), Trepanação de Jerónimo Bosch (Mariposa Azual, 2015).

Conta com algumas participações em antologias e revistas:  Revista “Inútil” n.2, “Meditações Sobre O Fim”, HARIEMUJ,  “Voo Rasante”, Mariposa Azual, “Caderno 3”, Enfermaria 6, “Flanzine 8 – Lol&Pop”, Flan de Tal, “Bukakke”,Copus Dei, “Persona”, do lado esquerdo.


Principais Obras Publicadas

Trepanação de Jerónimo Bosch
2015, Mariposa Azual

Ricardo Marques Da Escatologia (ou apresentando BOSCHKOWSKI) “He brought everybody down to earth, even the angels” Leonard Cohen sobre Charles Bukowski Comecemos com uma história. No final dos anos 70, Francis Bacon, o mais conhecido pintor inglês de então, foi à Royal Academy em Londres buscar umas garrafas de vinho … Ler mais

Destilações
2014, não (edições)
Saber Esperar Pelo Vazio
2012, Mosaico de Palavras

Espera-se melhor o vazio com a alma cheia. Como que meio de fuga ao vazio que o poeta sabe ser assustador para o ser humano, Saber Esperar Pelo Vazio é uma obra onde o vazio foi intencionalmente obliterado pelo poeta, ao estender o verso para lá da margem, como se … Ler mais

A confirmação de um grande poeta. Se, por um lado, neste Bate Palmas e Sete Palmos de Terra nos Olhos, se reduz a ligação radicular à terra presente na anterior obra do poeta, há um enorme ganho em termos de manancial emotivo e construção poética, verdadeiramente assinalável, equilibrando doses de … Ler mais

Disse-me António Montes
2010, Mosaico das Palavras

Em “Disse-me António Montes”, João Bosco da Silva faz a musa poética regressar ao convívio da Natureza, retomando uma linha secular, provinda de poetas grandes, mas interrompida com os caminhos ora artificiais ora metafísicos seguidos pela poesia nas últimas décadas. A natureza – tão presente e inscrita na alma do … Ler mais

os Poemas de Ninguém
2009, Atelier Editorial


Comprar livros de João Bosco da Silva: VER LIVRARIAS

Comentar