Irene Lisboa

com Sem comentários

Escritores > Irene Lisboa

Data Nasc: 25/12/1892 Naturalidade: Arruda dos Vinhos

Na web:


Irene do Céu Vieira Lisboa nasceu na Quinta da Murzinheira, em Arruda dos Vinhos, onde tem, aliás, uma Biblioteca e um Museu com o seu nome, a 25 de Dezembro de 1892.

Formou-se na Escola Normal Primária de Lisboa e estudou na Suíça, França e Bélgica, especializando-se em Ciências de Educação.

Iniciou a sua atividade profissional como professora de educação pré-primária. Foi nomeada para o Instituto de Alta Cultura e mais tarde afastada do Ministério da Educação por recusar um lugar em Braga.

Irene Lisboa dedicou-se por completo à produção literária e às publicações pedagógicas, depois de se reformar aos 48 anos. A escrita dominou toda a sua vida. Escreveu sobre pedagogia e livros para crianças e adultos, onde adotou os pseudónimos de João Falco, Manuel Soares e Maria Moira.

É uma das responsáveis pela difusão das teorias da educação nova e da escola activa.

Faleceu a 25 de Novembro de 1958.

Em homenagem à pedagoga Irene Lisboa, a Federação Nacional dos Professores (FENPROF) fundou, a 12 de Janeiro de 1988, o Instituto Irene Lisboa.

Em 2008, a Câmara Municipal de Arruda dos Vinhos instituiu o Prémio Literário Irene Lisboa.

.

Obra pedagógica:

Irene do Céu Vieira Lisboa, “Critica à actividade da «Maison dês Petits» anexa ao Instituto Jean- Jacques Rosseau”, “Relatório sobre as escolas maternais do Paris”, “Os ‘ Jardins d’Enfants’ de Bruxelas”, “Bases para um programa de escola infantil”, “O método Decroly ou dos centros de interesse”, em Relatórios das viagens de estudo dos bolseiros, Lisboa, Junta de Educação Nacional, 1933; pp. 71 – 186.

Irene do Céu Vieira Lisboa (relatora), “A contribuição do desenho para o ensino elementar sobre o Império colonial Português”, em A formação do espírito colonial na escola primária portuguesa – Tese oficial apresentada pelos Serviços de Orientação Pedagógica da Direccao Geral do Ensino Primário, Lisboa, Imprensa Nacional, 1934; pp. 19–22.

Irene do Céu Vieira Lisboa (Inspectora-orientadora), “Prelecção realizada aos professores do distrito escolar de Coimbra, em 25 de Janeiro de 1934, e repetida aos de Beja, em 1 de Fevereiro”, em Prelectores inaugurais, Direcção Geral do ensino Primário, Serviços de Orientação Pedagógica, Lisboa, Imprensa Nacional, 1935; pp. 124–137.

Manuel Soares (pseudónimo de I.L), Froebel e Montessori/ O trabalho manual na escola (duas conferencias pedagógicas), Lisboa, Cadernos da Seara Nova – Estudos Pedagógicos, 1937.

Manuel Soares, O primeiro ensino, I e II, Lisboa, Cadernos da Seara Nova – Estudos Pedagógicos, 1938.

Manuel Soares, A iniciação do cálculo, Cadernos da Seara Nova – Estudos Pedagógicos, 1940.

Irene Lisboa, A psicologia do desenho infantil (Palestra), Lisboa, seara Nova, 1942.

Irene Lisboa, Modernas tendências da educação, ilustrações da Ilda Moreira, Lisboa, Edições Cosmos – Biblioteca Cosmos n.º 21, 1942.

Irene Lisboa, Educação (Palestra), Lisboa, Seara Nova, 1944.

Irene Lisboa, Inquérito ao livro em Portugal – I, Editores e livreiros, Lisboa, Seara Nova, 1944.

Irene Lisboa, Inquérito ao livro em Portugal – II, Editores e livreiros, Lisboa, Seara Nova, 1946.

..


Principais Obras Publicadas

Obras de Irene Lisboa, Poesia I
1992, Editorial Presença

Este primeiro volume de «Obras de Irene Lisboa» é consagrado à produção poética da autora, incluindo os títulos «Um Dia e Outro Dia…Outono Havias de Vir».

Folhas soltas da “Seara Nova” – 1929/1955
1986, INCM – Imprensa Nacional Casa da Moeda

Prefácio e notas de Paula Morão. Ampla antologia dos textos em prosa e verso de Irene Lisboa, dispersos nas páginas da Seara Nova, onde muito provavelmente deixou a parte mais significativa da sua obra. Inserida na colecção Biblioteca de Autores Portugueses da INCM.

Solidão – II
1966, Portugália Editora [2ªed.: 1999, Editorial Presença]

Irene Lisboa foi uma escritora ousada nas suas propostas, como tal foi muitas vezes silenciada e remetida para um esquecimento revelador de uma profunda injustiça. A publicação das obras desta autora pela Editorial Presença, procura precisamente restituir o reconhecimento devido, a esta figura de relevo da literatura portuguesa. «Solidão II» … Ler mais

Crónicas da Serra
1958, Bertrand [2ªed.: 1997, Editorial Presença]

Sendo um género particularmente querido a Irene Lisboa, este conjunto de crónicas inspiradas na Serra da Estrela data de 1958, ano da morte da autora. Nesta obra, publicada postumamente em 1960, o narrador funde-se totalmente com o que o rodeia aparecendo por sua vez disseminado noutros narradores, o que revela … Ler mais

Queres ouvir? Eu conto
1958, Portugália Editora [2ªed.: s/d, Livraria Figueirinhas, reimpressa em 1977; 3ªed.: 1993, Editorial Presença]

Em “Queres Ouvir? Eu conto” encontramos, segundo as palavras da própria autora, «histórias para maiores e mais pequenos se entreterem». São histórias curtas, cheias de humor e ação, para ler ou ouvir contar, que valorizam o diálogo ou a oralidade e que criam mundos maravilhosos e encantatórios que vão ao encontro da … Ler mais

Título Qualquer Serve para Novelas e Noveletas
1958, Portugália Editora [2ªed.: 1998, Editorial Presença]

Publicado em 1958, ano da morte da autora, pela Portugália, «Título Qualquer Serve» de Irene Lisboa é uma das suas mais emblemáticas obras no que se refere ao grau de depuração da escrita e à hábil captação da fluidez do instante do fragmento. De estrutura aparentemente semelhante à que obedecem … Ler mais

O Pouco e o Muito
1956, Portugália Editora [2ªed.:1997, Editorial Presença]

«O Pouco e o Muito» é um dos três volumes da autoria de Irene Lisboa dedicados a cenas da vida lisboeta. Inicialmente publicada em 1956, esta é uma das últimas produções da autora, daí a maturação do estilo e o apuramento da já peculiar arte de narrar de uma escritora … Ler mais

Voltar atrás para quê?
1956, Bertrand [3ªed.: 1994, Editorial Presença]

A alma de uma adolescente posta a nu. As alegrias e os sofrimentos, as perplexidades e os deslumbramentos de uma rapariga que abre para a vida. O mundo secreto de um ser – necessariamente, ainda frágil e hesitante – revelado tal qual. Irene Lisboa, com a objectividade, a frieza e … Ler mais

Uma mão cheia de nada outra de coisa nenhuma
1955, Portugália Editora [3ªed.: 1993, Editorial Presença]

“Uma Mão Cheia de Nada Outra de Coisa Nenhuma” insere-se na reedição, levada a cabo pela Editorial Presença, das «Obras de Irene Lisboa», de que estão neste momento disponíveis dez volumes; o outro volume para crianças e jovens “Queres Ouvir? Eu Conto” (1993) está também disponível na colecção «À Descoberta». O prefácio pretende … Ler mais

Apontamentos
1943, Edição de Autor [2ª ed.: 1998, Editorial Presença]

A sua matéria é “tudo o que faz parte de uma vida” e o próprio livro “uma cristalização do pequeno e do grande facto”. São cenas do quotidiano, pequenos retratos de personagens do universo popular – as vendedeiras, as crianças pobres, os reformados – que desfilam diante dos nossos olhos … Ler mais

Esta Cidade!
1942, Edição de Autor [2ªed.: 1995, Editorial Presença]

sob o pseudónimo de João Falco Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para o Ensino Secundário como sugestão de leitura. Revelando uma outra vertente da obra da autora – a sua faceta de cronista -, este novo volume das «Obras de Irene Lisboa» é também aquele em que ela assume … Ler mais

Folhas Volantes
1940, Seara Nova

Poesia – sob o pseudónimo de João Falco

Começa uma Vida
1940, Seara Nova [2ªed.: 1993, Editorial Presença]

«Começa Uma Vida» foi publicado pela primeira vez em 1940 e assinado com o pesudónimo de João Falco. Acerca deste livro confessou Irene Lisboa não saber se se tratava de fábula ou de realidade, dado o papel transfigurador da memória. O que ela faz é uma tentativa de reconstituir os … Ler mais

Lisboa e quem cá Vive
1940, Seara Nova

sob o pseudónimo de João Falco

sob o pseudónimo de João Falco De registo autobiográfico, estas “notas do punho de uma mulher” refletem o solitário quotidiano de um eu que se transcende pela escrita.

Outono havias de vir latente triste
1937, Seara Nova [reeditado em Poesia - I, 1991, Editorial Presença]

Poesia – sob o pseudónimo de João Falco

Um dia e outro dia… – Diário de uma mulher
1936, Seara Nova [reeditado em Poesia – I, 1991, Editorial Presença]

Poesia – sob o pseudónimo de João Falco

Ilustrado por Ilda Moreira. Primeiro e mais raro livro de Irene Lisboa, figura das mais notáveis da literatura feminina portuguesa, que se estreia com este livro de contos para crianças. Com vasta obra publicada, escrita por vezes sob os pseudónimos de Manuel Soares, João Falco e Maria Moira, foi das … Ler mais


Comprar livros de Irene Lisboa: VER LIVRARIAS

Comentar