Cecília Meireles

com Sem comentários

Escritores > Cecília Meireles

Data Nasc: 07/11/1901 Naturalidade: Rio de Janeiro, Brasil

Na web: Facebook


Cecília Benevides de Carvalho Meireles foi poetisa, professora, jornalista e pintora brasileira.

Criada pela avó materna, Jacinta Garcia Benevides, portuguesa nascida na Ilha de S.Miguel, Açores.

Fez o curso primário na Escola Estácio de Sá, onde recebeu das mãos de Olavo Bilac a medalha do ouro por ter feito o curso com louvor e distinção. Formou-se professora pelo Instituto de Educação em 1917. Passou a exercer o magistério em escolas oficiais do Rio de Janeiro

Com 18 anos estreia-se na literatura com o livro “Espectros”. Participou do grupo literário da Revista Festa, grupo católico, conservador e anti-modernista. Desse vínculo herdou a tendência espiritualista que percorre seus trabalhos com frequência.

Publicou, entre 1930 e 1931, vários artigos sobre os problemas na educação, em diversas revistas e jornais. Fundou em 1934 a primeira biblioteca infantil no Rio de Janeiro.

Entre 1936 e 1938, foi professora de Literatura Luso-Brasileira na Universidade do Distrito Federal. Em 1940, lecionou Literatura e Cultura Brasileira na Universidade do Texas. Profere em Lisboa e Coimbra, conferência sobre Literatura Brasileira. Publica em Lisboa o ensaio “Batuque, Samba e Macumba”, com ilustrações de sua autoria.

Foi galardoada, em 1965, com o Prémio Machado de Assis. Foi feita sócia honorária do Real Gabinete Português de Leitura e do Instituto Vasco da Gama, em Goa. Doutora “honoris causa” pela Universidade de Delhi e Oficial da Ordem do Mérito, no Chile.

Nos Açores, de onde eram oriundos os seus pais, o nome de Cecília Meireles foi dado à escola básica da freguesia de Fajã de Cima, concelho de Ponta Delgada.

Cecília Benevides de Carvalho Meireles faleceu no Rio de Janeiro, no dia 9 de novembro de 1964.

Foi a primeira voz feminina de grande expressão na literatura brasileira, com mais de 50 obras publicadas.

Algumas das suas obras:

Espectros, 1919

Criança, meu amor, 1923

Nunca mais, 1923

Poema dos Poemas, 1923

Baladas para El-Rei, 1925

O Espírito Vitorioso, 1929

Saudação à menina de Portugal, 1930

Batuque, samba e Macumba, 1933

A Festa das Letras, 1937

Viagem, 1939

Olhinhos de Gato,1940

Vaga Música, 1942

Poetas Novos de Portugal, 1944

Mar Absoluto, 1945

Rute e Alberto, 1945

Rui — Pequena História de uma Grande Vida, 1948

Retrato Natural, 1949

Problemas de Literatura Infantil, 1950

Amor em Leonoreta, 1952

Doze Noturnos de Holanda e o Aeronauta, 1952

Romanceiro da Inconfidência, 1953

Poemas Escritos na Índia, 1953

Batuque, 1953

Pequeno Oratório de Santa Clara, 1955

Pistoia, Cemitério Militar Brasileiro, 1955

Panorama Folclórico de Açores, 1955

Canções, 1956

Giroflê, Giroflá, 1956

Romance de Santa Cecília, 1957

A Bíblia na Literatura Brasileira, 1957

A Rosa, 1957

Obra Poética,1958

Metal Rosicler, 1960

Poemas de Israel, 1963

Antologia Poética, 1963

Solombra, 1963

Ou Isto ou Aquilo, 1964

Escolha o Seu Sonho, 1964

Crônica Trovada da Cidade de San Sebastian do Rio de Janeiro, 1965

O Menino Atrasado, 1966

Poésie (versão francesa), 1967

Antologia Poética, 1968

Poemas Italianos, 1968

Poesias (Ou isto ou aquilo& inéditos), 1969

Flor de Poemas, 1972

Poesias Completas, 1973

Elegias, 1974

Flores e Canções, 1979

Poesia Completa, 1994

Obra em Prosa – 6 Volumes – Rio de Janeiro, 1998

Canção da Tarde no Campo, 2001

Poesia Completa, edição do centenário, 2001, 2 vols. (Org.: Antonio Carlos Secchin. Rio de Janeiro: Nova Fronteira)

Crônicas de educação, 2001, 5 vols. (Org.: Leodegário A. de Azevedo Filho. Rio de Janeiro: Nova Fronteira)

Episódio Humano, 2007


Principais Obras Publicadas

A obra Pistoia – Cemitério Brasileiro traz um curto poema escrito por Cecília Meireles, na cidade de Florença, na Itália. Pistoia foi um cemitério na região da Toscana, onde foram enterrados corpos de soldados brasileiros que fizeram parte da FEB.

Nestas crônicas, Cecília Meireles evoca temas e situações que vão da infância escolar às belezas e lições de sabedoria do Oriente, das humanas inquietações do cotidiano à denúncia de uma natureza cada vez mais degradada pelo descaso.

O Aeronauta
2014, Global

Publicado originalmente em 1952 como um apêndice aos poemas de Doze noturnos da Holanda, O aeronauta recebe pela primeira vez o devido destaque, em edição independente publicada pela Global Editora. Com onze poemas com a inconfundível e inigualável característica da poesia de Cecília Meireles, o livro foi inspirado por uma … Ler mais

Espectros
2013, Global

Primeiro livro de Cecília Meireles, Espectros foi publicado em 1919, em tiragem muito reduzida. Cecília tinha aproximadamente 17 anos, era recém-formada pela Escola Normal do antigo Distrito Federal, no Rio de Janeiro, e reunia em livro 17 sonetos. No prefácio à edição, o professor Alfredo Gomes saudava na aluna “o … Ler mais

Criança, Meu Amor
2013, Global

Neste livro a poeta discorre – de forma singela e em doses precisas – sobre valores como; bondade, respeito e amor ao trabalho, à natureza e ao próximo.

O Menino Azul
2013, Global

Cecília Meireles tem um estilo voltado para a simplicidade da forma e marcado, ao mesmo tempo, pela riqueza das imagens e símbolos. ‘O menino quer um burrinho/ que saiba inventar/ histórias bonitas/ com pessoas e bichos/ e com barquinhos no mar.’ A suavidade de sua poesia encanta tanto criança como … Ler mais

Antologia Poética
2013, Global

Composta por poemas retirados de diversos livros seus, inclusive alguns textos inéditos, a obra revela, assim, um precioso autorretrato da escritora. A seleta é composta por poemas de todos os seus livros fundamentais. Além de Viagem, são apresenta dos os mais significativos versos de Vaga música, Mar absoluto, Retrato natural, … Ler mais

Ou Isto ou Aquilo
2012, Global

Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para o 2º ano de escolaridade, destinado a leitura orientada. Esta obra traz poesias nas quais a autora procura resgatar o universo infantil através de situações surpreendentes, comparações incomuns, cantigas de roda, cantigas de ninar, trava-línguas, dentre outros recursos, explorando em seus poemas a … Ler mais

Olhinhos de Gato
2003, Moderna

Com linguagem sofisticada, a autora procura desvendar sua infância em momentos de contemplação intimista e aqui e ali algum fato concreto, como as músicas que a ama cantarolava, os carroceiros vendedores de mercadorias, as vizinhas que conversavam pelas varandas, as brincadeiras de roda tão ao gosto das crianças de antigamente. … Ler mais

Crónicas de Viagem – Livro 2
1999, Nova Fronteira

Distinguindo sempre o simples turista do verdadeiro viajante Cecília Meireles sabe que ‘todos os dias são dias novos e antigos e todas as ruas são de hoje e da eternidade: e o viajante imóvel é uma pessoa sem data e sem nome na qual repercutem todos os nomes e datas … Ler mais

Romanceiro da Inconfidência
[Reed. 2007, Relógio d'Água], Global

A obra Romanceiro da Inconfidência, de Cecília Meireles, foi publicado em 1953, e escrito na década de 1940 quando sua autora, então jornalista, chegou a Ouro Preto, com a finalidade de documentar os eventos de uma Semana Santa. Assim, envolvida pela “voz irreprimível dos fantasmas”, conforme dissera, passou a reescrever, de … Ler mais


Comprar livros de Cecília Meireles: VER LIVRARIAS


Notícias

De momento, não temos noticias sobre este escritor.

Comentar