‘A Morte da Avó’, obra póstuma de Roby Amorim prefaciada por António Lobo Antunes

com Sem comentários

O livro ‘A Morte da Avó’, obra póstuma do escritor e jornalista Roby Amorim, chega aos escaparates das livrarias, com chancela Guerra & Paz Editores, no próximo dia 4 de Outubro.

A obra é prefaciada por António Lobo Antunes e inclui uma introdução e algumas notas explicativas de Nuno Roby Amorim, filho do autor.

«Um bom jornalista é também um bom contador de histórias. E se Roby Amorim contou com mestria as histórias dos outros, também o fez com a pessoa que lhe era mais próxima, uma história até hoje inédita. Este é o registo de um mundo que terminou com a morte da própria avó. Maria Inácia da Conceição de Faria Machado Pinto Roby de Miranda Pereira da Rocha Tinoco, a personagem central desta narrativa, nasceu quando Portugal se digladiava entre facções ultraconservadoras e progressistas, em plena revolta da Maria da Fonte, e morreu durante a Guerra Civil espanhola. Como refere António Lobo Antunes, «Roby Amorim consegue transformar uma Mulher na saga de uma família e de um tempo, com um bom gosto e um poder evocativo de alto calibre. […] quero apenas pedir LEIAM ISTO, uma vez que o engenho do Autor nos retrata também a nós mesmos, nos diversos tempos de que somos feitos.»

José Roby Amorim (17/03/1927 – 21/12/2013) nasceu em Braga. Foi jornalista do Diário Ilustrado, do jornal O Século e da ANOP – Agência Noticiosa Portuguesa. Pai do também ex-jornalista Nuno Roby Amorim e da falecida actriz Teresa Roby. É autor dos livros Elucidário de Conhecimentos Quase Inúteis e Dar Mão à Boca. Uma Historia da Alimentação em Portugal.

Comentar