Jorge Amado: vida e obra

com Sem comentários

“Desde 1871, sabíamos, com E. B. Tylor, pai da antropologia, não haver lugar a distinção entre raças superiores e inferiores. O passado e o Outro, mesmo em pé de desigualdade, importavam à explicação do universo em presente. Ele acreditava na caminhada para a civilização, a partir da correlação entre formas produtivas, laços parentais, consciência social. Esse desenvolvimento faz-se por estádios: cultural, industrial, intelectual, político, moral.”