‘LA LYS 1917-1918’ de Miguel Nunes Ramalho

com 1 comentário

O livro ‘LA LYS 1917-1918 – Capitães Bento Roma e David Magno, Mito e Realidade’, da autoria de Miguel Nunes Ramalho, prefaciado por António José Telo, com chancela Fronteira do Caos, estará disponível a partir do dia 20 de julho.

«Resultado de uma tese de doutoramento este livro tenta perceber como os dilemas e contradições originados pela forma como se forçou a beligerância de Portugal na Grande Guerra. Como essa decisão política conduziu à fractura da instituição militar? Analisa igualmente as linhas de fractura e dissensões políticas existentes durante a 1ª república. a Grande Guerra e a beligerância forçada e impopular que a marcou continuam hoje envoltas em nevoeiro.
Passaram cem anos, mas por vezes parece que foi um tempo que passou sem anos, tais são as semelhanças com o passado. Porque existe este nevoeiro, esta censura negra que tudo tolda, este medo de olhar para o passado com os olhos da lógica? o nevoeiro só existe porque muitos o querem manter. Quem são esses muitos? em primeiro lugar, os que provocaram a beligerância e todos os que se consideram os seus herdeiros políticos e ideológicos.
É fácil saber quem provocou a beligerância: foram os republicanos radicais, agrupados à volta de Afonso Costa, que gostam de se apresentar a si próprios como sendo A República, mas que não passam de uma das várias correntes do regime.» (Do Prefácio por António Telo).

Um comentário

  1. Gostaria, se gostaria.
    Bom trabalho

Comentar