Ruy Belo

com Sem comentários

Escritores > Ruy Belo

Data Nasc: 27/02/1933 Naturalidade: São João da Ribeira, Rio Maior

Na web:


Biografia:

Rui de Moura Belo (Ruy Belo) nasceu em São João da Ribeira, Rio Maior, no dia 27 de fevereiro de 1933.

Em 1951 aderiu à Opus Dei. Licenciou-se em Filologia Românica e em Direito pela Universidade de Lisboa e obteve o grau de doutor em Direito Canónico pela Universidade de Roma, com uma tese intitulada «Ficção Literária e Censura Eclesiástica».

Foi diretor literário da Editorial Aster e chefe de redacção da revista Rumo.

Em 1961, entrou como investigador na Faculdade de Letras de Lisboa com uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian.

Exerceu, ainda que brevemente, um cargo de director-adjunto no então ministério da Educação Nacional, mas o seu relacionamento com opositores ao regime da época, a participação na greve académica de 1962 e a sua candidatura a deputado, em 1969, pelas listas da Comissão Eleitural de Unidade Democrática, levaram a que as suas actividades fossem vigiadas e condicionadas.

Entretanto abandonou a Opus Dei e trocou Lisboa por Madrid, aceitando o cargo de leitor de Português na Universidade de Madrid, que desempenhou de 1971 a 1977.

Regressado, então, a Portugal, foi-lhe recusada a possibilidade de leccionar na Faculdade de Letras de Lisboa, dando aulas na Escola Técnica do Cacém, no ensino nocturno.

Morreu, de um edema pulmonar, na sua casa em Queluz, a 8 de agosto de 1978.

Apesar do curto período de actividade literária, Ruy Belo tornou-se um dos maiores poetas portugueses da segunda metade do século XX, tendo as suas obras sido reeditadas diversas vezes. O versilibrismo dos seus poemas conjuga-se com um domínio das técnicas poéticas tradicionais. Destacou-se ainda pela tradução de autores como Antoine de Saint-Exupéry, Blaise Cendrars, Raymond Aron, Montesquieu e Federico García Lorca.

A sua obra, organizada em três volumes sob o título “Obra Poética de Ruy Belo”, foi editada em 1981, sendo considerada uma das obras cimeiras da poesia portuguesa contemporânea.

No posfácio ao primeiro volume da Obra poética de Ruy Belo, o poeta e ensaísta Joaquim Manuel Magalhães assinala na sua obra duas vertentes: de um lado, “a omnipresente consciência da morte, da solidão”, do outro “a minuciosa exaltação das coisas, a persistente nomeação dos objectos e dos actos quotidianos, as recordações do tempo infantil gostosamente enumeradas, a fruição do tempo, dos nevoeiros, do mar, do sol, a rede de alegrias do tecido social comunitário, o desejo de transformação dos erros humanos”.

Em 1991 foi condecorado, a título póstumo, com o grau de Grande Oficial da Ordem Militar de Sant’iago da Espada.

Bibliografia

Aquele Grande Rio Eufrates, Edições Ática, 1961

O Problema da Habitação, Edições Ática, 1962

Boca Bilingue, Edições Ática, 1966

Homem de Palavras, Publicações D. Quixote, 1969

Na senda da poesia, União Gráfica, 1969

Transporte no Tempo, Moraes Editora, 1973

País Possível, Assírio & Alvim, 1973

A Margem da Alegria, Moraes Editora, 1974

Toda a Terra, Editorial Presença, 1976

Despeço-me da Terra da Alegria, Editorial Inova, 1977

Obra Poética de Ruy Belo (volumes I-II-III), Editorial Presença, 1981

Todos os Poemas (volumes I-II-III), Assírio & Alvim, 2000

Orla Marítima e outros Poemas, Assírio & Alvim, 2008

O Tempo das Suaves Raparigas e Outros Poemas de Amor, Assírio & Alvim, 2010




Principais Obras Publicadas

Todos os Poemas
2000, Assírio & Alvim [Reed. 2014]

Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para o Ensino Secundário como sugestão de leitura. Esta edição segue o estabelecimento de texto efectuado por Gastão Cruz e Teresa Belo, passando o presente volume a constituir a edição de referência da poesia de Ruy Belo. Respeitou-se o critério de iniciais maiúsculas e … Ler mais

Obra Poética de Ruy Belo
1981, Editorial Presença

Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para o Ensino Secundário como sugestão de leitura. Obra de Ruy Belo organizada em três volumes sob o título “Obra Poética de Ruy Belo” foi editada em 1981, sendo considerada uma das obras cimeiras da poesia portuguesa contemporânea. No posfácio ao primeiro volume da Obra poética … Ler mais

Despeço-me da Terra com Alegria
1977, Editorial Inova [Reed. 2000, Editorial Presença]

Pensar é estar alguma coisa mais pensar é o que sobra da respiração pensar é o que não nos leva às coisas pensando se antecipa a própria morte Ruy Belo foi um dos poetas contemporâneos que mais longe levou a aventura da criação da linguagem e da relação desta com … Ler mais

Toda a Terra
1976, Editorial Presença [Reed. 2000]

o volume «Toda a Terra» marca o regresso do poeta ao poema longo e à abordagem de uns dos temas dominantes de toda a sua poesia – o da morte ou, melhor, da preparação da morte. Uma obra que transmite o sentir agudo da fragilidade e da irrealidade da vida.

A Margem da Alegria
1974, Moraes Editora [Reed. 1998, Editorial Presença]

Margem da Alegria incide fundamentalmente sobre o romance lendário entre D. Pedro e D. Inês de Castro e inclui uma introdução desenvolvida por Fernando Guimarães. Uma obra de raízes românticas à qual não são alheias as influências do surrealismo.

País Possível
1973, Assírio & Alvim [Reed. 2015]

Escrito em 1973, este é um livro que permanece extremamente atual e que possui uma indubitável unidade temática: «a do mal-estar de um homem que ao longo da vida, tem pagado caro o preço por ter nascido em Portugal», tal como afirma o próprio Ruy Belo na sua nota introdutória. … Ler mais

Transporte no Tempo
1973, Moraes Editora [Reed. 1997, Editorial Presença]

Quase vinte anos depois da sua morte, a poesia de Ruy Belo impõe-se cada vez mais como um dos expoentes decisivos do lirismo português da segunda metade do nosso século, sobretudo pelo modo de articular um fôlego discursivo atento à musicalidade dos versos com a recuperação de uma carga emocional … Ler mais

Homem de Palavra(s)
1969, Publicações Dom Quixote [Reed. 2016, Assírio & Alvim]

Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para o Ensino Secundário como sugestão de leitura. «[…] O que procuro evitar a todo o custo é repetir um livro, se possível um simples poema ou processos por mim já levados porventura até à exaustão. Cada livro meu, quer-me a mim parecer, é … Ler mais

Na Senda da Poesia
1969, União Gráfica [Reed. 2002,Assírio & Alvim]

Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para o Ensino Secundário como sugestão de leitura. Esta nova edição (2002) dos ensaios “Na Senda da Poesia”, de Ruy Belo, segundo volume das obras do autor de “Aquele Grande Rio Eufrates” na editora Assírio & Alvim, acrescenta alguns outros publicados após a primeira … Ler mais

Boca Bilingue
1966, Edições Ática [Reed. 2016, Assírio & Alvim]

Terceiro livro de Ruy Belo, «Boca Bilingue» foi publicado pela primeira vez em 1966. Nas palavras de Gastão Cruz, no prefácio a esta edição «Ao invocar, no poema de abertura do seu livro, a poesia como “palavra impossível”, Ruy Belo passa-lhe o único atestado que pode certificá-la como poesia, um … Ler mais

O Problema da Habitação
1962, Edições Ática [Reed. 2013, Assírio & Alvim]

«Publicado em 1962, um ano após Aquele Grande Rio Eufrates, o livro agora reeditado pela Assírio & Alvim representa, a meu ver, um dos momentos mais coerentes e mais densos da obra de Ruy Belo: composto apenas por uma dezena de textos – sete poemas longos e três mais breves … Ler mais

Aquele Grande Rio Eufrates
1961, Edições Ática [Reed. 1996, Editorial Presença]

Com este livro, publicado pela primeira vez em 1961, inicia-se a reedição da Obra Poética de Ruy Belo. A ordem de publicação das sucessivas edições corresponderá àquela que foi praticada em vida do autor, sendo cada um dos volumes precedido por um estudo crítico da autoria de nomes de relevo … Ler mais


Comprar livros de Ruy Belo: ALMEDINA | BERTRAND | BULHOSA | FNAC | LEYA | WOOK


Comentar