Ana Margarida de Carvalho

com Sem comentários

Escritores > Ana Margarida de Carvalho

Data Nasc: Naturalidade: Lisboa

Na web: Facebook


Ana Margarida de Carvalho nasceu em Lisboa, onde se licenciou em Direito e viria a tornar jornalista, assinando reportagens que lhe valeram sete dos mais prestigiados prémios do jornalismo português, entre os quais o Prémio Gazeta Revelação do Clube de Jornalistas de Lisboa, do Clube de Jornalistas do Porto ou da Casa de Imprensa.

Passou pela redação da SIC e publicou artigos na revista Ler, no Jornal de Letras, na Marie Claire e na Visão, onde ocupou o cargo de Grande Repórter e fez crítica cinematográfica no roteiro e no site de cinema oficial da revista, o Final Cut.

Lecionou workshops de Escrita Criativa, foi jurada em vários concursos oficiais e festivais cinematográficos e é autora de reportagens reunidas em coletâneas, de crónicas, de guiões subsidiados pelo ICA e de uma peça de teatro.

O seu primeiro romance Que Importa a Fúria do Mar venceu por unanimidade o Grande Prémio de Romance e Novela APE/DGLAB em 2013 e foi finalista de muitos dos principais prémios literários referentes à data de publicação.

Em parceria com Sérgio Marques, lançou, em 2015, o livro infantojuvenil A Arca do É.

Em 2016 publica Não se Pode Morar nos Olhos de Um Gato, considerado livro do ano pelo Público, nomeado a melhor livro do ano pela SPA e vencedor do Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores (APE) 2017.

Em 2017, a autora lança o seu primeiro livro de não-ficção Julgamentos que Mudaram a História (Desassossego) e o seu primeiro livro de contos Pequenos Delírios Domésticos (Relógio d’Água).


Principais Obras Publicadas

Pequenos Delírios Domésticos
2017, Relógio d'Água

Este primeiro livro de contos da autora evidencia o seu invulgar talento para a narrativa breve. O primeiro texto, “Chão Zero”, sobre o recente incêndio que lhe destruiu a casa familiar, é de uma força invulgar, reunindo a sua experiência de jornalismo e literatura na rejeição do irremediável. Segue-se um … Ler mais

A História não se escreve apenas nos gabinetes dos ministros, nos palácios presidenciais ou nos campos de batalha, muitas vezes decide-se nas salas de tribunal. A História de Portugal e do Mundo está recheada de julgamentos cujos impactos duram até hoje. Muitos tribunais derrubaram governos, findaram dinastias, perseguiram pensadores, acusaram … Ler mais

Em finais do século XIX, já depois da abolição da escravatura, um tumbeiro clandestino naufraga ao largo do Brasil. Um grupo de náufragos atinge uma praia intermitente, que desaparece na maré cheia: um capataz, um escravo, um mísero criado, um padre, um estudante, uma fidalga e sua filha, um menino … Ler mais

A Arca do É
2015, Teorema

Esta é uma história para os meninos que teimam em não gostar de sopa. No tempo em que os animais falavam havia dois irmãos gémeos que eram na verdade muito diferentes: o NOÉ era sério e carrancudo e o É andava sempre contente. O resmungão do Senhor Noé falava muito … Ler mais

Numa madrugada de 1934, um maço de cartas é lançado de um comboio em andamento por um homem que deixou uma história de amor interrompida e leva uma estilha cravada no coração. Na carruagem, além de Joaquim, viajam os revoltosos do golpe da Marinha Grande, feitos prisioneiros pela Polícia de … Ler mais


Comprar livros de Ana Margarida de Carvalho: VER LIVRARIAS


Entrevista

‘Só sabemos dos outros o que compreendemos de nós próprios’ - 29/12/2016

Ana, quando é que surgiu a sua “necessidade” de escrever?   Eu nunca lhe chamaria uma «necessidade». Associo escrever por necessidade à escrita jornalística, por causa da funcionalidade informativa qu … Ler mais

Comentar