Alexandre O’Neill

com Sem comentários

Escritores > Alexandre O’Neill

Data Nasc: 19/12/1924 Naturalidade: Lisboa

Na web:


Biografia:

Alexandre Manuel Vahia de Castro O’Neill de Bulhões nasceu em Lisboa, a 19 de dezembro de 1924.

Descendente de irlandeses, foi um poeta português e um dos fundadores do Movimento Surrealista de Lisboa (Mário Cesariny, António Pedro, José-Augusto França), mas desvinculou-se do grupo em 1951.

Dedicou-se também à atividade de técnico publicitário, sendo da sua autoria o lema publicitário «Há mar e mar, há ir e voltar».

Na década de 60 publicou várias obras poéticas, antologias de outros autores e traduções.

Colaborou, na década de 70, em revistas, programas televisivos, cinema e teatro.

Recebeu, pelas suas Poesias Completas, o Prémio da Crítica do Centro Português da Associação Internacional de Críticos Literários, em 1983.

Faleceu, em Lisboa, no da 21 de agosto de 1986.

A 10 de junho de 1990, a título póstumo, foi condecorado Grande-Oficial da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada.

Tem, em Constância, uma biblioteca com o seu nome, que alberga parte do seu espólio.




Principais Obras Publicadas

Poesias Completas & Dispersos
2017, Assírio & Alvim

Poesias Completas & Dispersos é o título da nova edição da poesia completa de Alexandre O’Neill, que desta vez inclui textos dispersos e alguns inéditos. Organizado e posfaciado por Maria Antónia Oliveira e revisto por Luis Manuel Gaspar, este livro reúne num só volume toda a poesia publicada do autor, … Ler mais

Já cá não está quem falou
2008, Assírio & Alvim

Reúnem-se neste volume prosas dispersas de Alexandre O’Neill. O título foi encontrado no espólio do escritor, numa nota manuscrita datável de 1981: «JÁ CÁ NÃO ESTÁ QUEM FALOU / (título para um livro póstumo)». A seriação guia-se pelo critério cronológico, à excepção das recensões a livros. De cada texto, no … Ler mais

Anos 70. Poemas Dispersos
2005, Assírio & Alvim

Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para o Ensino Secundário como sugestão de leitura. Os textos de Alexandre O’Neill que compõem este volume nunca foram por ele incluídos em livros seus. À excepção de dois, recuperados de uma antologia, e de três encontrados no espólio, o autor publicou-os em jornais … Ler mais

Poesias Completas
2000, Assírio & Alvim [Reed. 2007 e 2012]

Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para o Ensino Secundário como sugestão de leitura. “A meio do século passado já me apercebera, confusamente, que tanto ou mais do que eu estavam doentes as palavras. Uma terapêutica, a do alambique, levaria à meditação do branco sobre o branco, e no melhor … Ler mais

Coração Acordeão
2000, O Independente

Nesta iniciativa do semanário O Independente foi editado um título com inéditos e dispersos de Alexandre O’Neill posteriores à edição das Poesias Completas do autor naquela casa editora, em 2001. Coração Acordeão reúne, assim, textos que haviam «escapado» àquele volume, como conta Vasco Rosa, no prefácio. Com ilustrações de António … Ler mais

Tomai lá do O’Neill
1986, Círculo de Leitores

Selecção de poemas e prefácio de António Tabucchi. As fotografias são do filho do poeta, Alexandre Delgado O´Neill. O arranjo gráfico é da responsabilidade de Luiz Duran.

Poesias Completas (1951-1986)
1986, INCM - Imprensa Nacional-Casa da Moeda

Inclui “Dezanove Poemas”.

Poesias Completas (1951-1981)
1981, INCM - Imprensa Nacional-Casa da Moeda

Inclui “As Horas Já de Números Vestidas “.

Uma Coisa em Forma de Assim
1980, Editorial Presença [reed. 2004 Assírio & Alvim]

Com edição e posfácio de Maria Antónia Oliveira, reúne-se (em forma de) assim toda a prosa do autor de “Um Adeus Português”. É assim que a organizadora do volume o explica: “Na sua escrita leve, clara e irrespeitosa, O’Neill apresenta-nos aqui pequenas ficções, arremedos de contos, crónicas, reflexões e devaneios, … Ler mais

A Saca de Orelhas
1979, Sá da Costa Editora
Entre a Cortina e a Vidraça
1972, Estúdios Cor

Este livro foi reeditado em 2008, pela MHIJ, em formato Audio-Livro.

De Ombro na Ombreira
1969, Dom Quixote

“De ombro na ombreira vejo no outro lado outro ombro na ombreira Entre ombros nas ombreiras nenhum assombro: ombros ombro a ombro param ombro a ombreira Quando tudo escombro ainda todos seremos ombro na ombreira.”

Feira Cabisbaixa
1965, Ulisseia [Reed. 1979, Sá da Costa Editora]
Poemas com Endereço
1962, Moraes Editora
Abandono Vigiado
1960, Guimarães Editores
No Reino da Dinamarca
1958, Guimarães Editores [Reed. 1997, Relógio d'Água]

A Edição de 1997, Relógio d’Água, inclui a edição original, bem como a 2ª edição, revista e aumentada, em 1967, “No Reino da Dinamarca – Obra Poética (1951-1965)” e a 3ª edição, revista e aumentada, em 1974,  “No Reino da Dinamarca – Obra Poética (1951-1969) editadas pela Guimarães Editores.

Tempo de Fantasmas
1951, Cadernos de Poesia

Em Novembro de 1951, Alexandre O’Neill edita “Tempo de Fantasmas”, o seu primeiro livro de poemas, em “Cadernos de Poesia (fascículo nº11).

A Ampola Miraculosa
1948, Cadernos Surrealistas [Reed. 2002 Assírio & Alvim]

A Ampola Miraculosa, editado em 1948, foi o primeiro livro de Alexandre O’ Neill e integrou os «Cadernos Surrealistas». «Pergunto-me, como quem não quer a coisa, se este sr. O’Neill não se deveria ter expandido nas suas aptidões de criador visual? Teria sido um excelente artista? Sem dúvida! A Ampola Miraculosa parece … Ler mais


Comprar livros de Alexandre O’Neill: ALMEDINA | BERTRAND | BULHOSA | FNAC | LEYA | WOOK


Comentar