Aleilton Fonseca

com Sem comentários

Escritores > Aleilton Fonseca

Data Nasc: 21/07/1959 Naturalidade: Firmino Alves, Bahia, Brasil

Na web: Blog Facebook


Aleilton Fonseca nasceu em Firmino Alves, Bahia, Brasil em 21/07/1959.

Viveu a infância e adolescência em Ilhéus e reside em Salvador.

Começou a escrever e a publicar em jornais e revistas, aos 17 anos.

A sua produção literária vai desde ficção, poesia e ensaio.

É licenciado em Letras pela Universidade Federal da Bahia (1982), com mestrado pela Universidade Federal da Paraíba (1992) e doutorado pela Universidade São Paulo (1997). É professor de Literatura no curso de Letras desde 1984, na Universidade Estadual de Feira de Santana.

Lecionou, como professor convidado, na Université d’Artois, na França, em 2003. Participa regularmente em eventos literários e científicos no Brasil e no exterior

Fez palestras e/ou apresentou trabalhos em diversas universidades brasileiras e em instituições estrangeiras, como Sorbonne, Nanterre, Rennes, Tour, Toulouse e Nantes (França) e também na  Universidade de Budapeste (Hungria).

Foi coeditor de Iararana – Revista de arte, crítica e literatura de 1998 a 2007.

É coeditor de Légua e Meia, Revista de literatura e diversidade cultural, da UEFS.

Faz parte da Comissão Editorial da Revista da Academia de Letras da Bahia e de outras revistas literárias e acadêmicas.

É correspondente da revista francesa Latitudes: cahiers lusophones.

Recebeu um dos Prémios Culturais Fundação Cultural da Bahia – 3º lugar (1996), o Prêmio Luis Cotrim (ALJ, 1997), o Prêmio Herberto Sales (ALB, 2001) e o Prémio Marcos Almir Madeira (UBE-RJ, 2005).

Em 2009, ao completar 50 anos, foi homenageado pelo Lycée des Arènes (Toulouse, França), pelo Instituto de Letras da UFBA (Projeto o escritor e seus múltiplos) e pela ALB (mesa redonda).

Coordena o Curso Castro Alves/Colóquio de Literatura Baiana, da ALB (2005-2015). Tem diversos livros e artigos publicados no Brasil, e em outros países como França, Bélgica, Canadá, Estados Unidos, Itália, Uruguai e Paraguai.

O seu romance Nhô Guimarães foi adaptado para o teatro em 2009.

Em 2013 recebeu o título de Professor de Honra de Humanidades, pela Universidad del Norte, em  Assunção, Paraguai.

Em 2014, Recebeu o Troféu Carlos Drummond de Andrade (Itabira-MG), a Medalha Luis Vaz de Camões (Núcleo Académico de Letras e Artes de Lisboa) e a Comenda do Mérito Cultural, concedida pela Secretaria da Cultura, do Governo do Estado da Bahia.

Também recebeu as medalhas Pedro Calmon (Associação Baiana de Imprensa, 2002), Euclides da Cunha (Academia Brasileira de Letras, 2009) e Arlindo Fragoso (Academia de Letras da Bahia, 2010).

É membro da Academia de Letras da Bahia, da Academia de Letras de Itabuna, da União Brasileira de Escritores-SP e do PEN Clube do Brasil.

Integra a Association Internationale de la Critique Littéraire, sediada na França, da qual foi vice-presidente para América do Sul, em 2013-2014.

Bibliografia

Ficção:

Jaú dos bois e outros contos. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1997.

O desterro dos mortos (contos). Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001.

O canto de Alvorada. (contos). Rio de Janeiro: José Olympio, 2003.

Nhô Guimarães: romance em homenagem a Guimarães Rosa. Rio de Janeiro:Bertrand Brasil, 2006.

Les marques du feu et autres nouvelles de Bahia. Paris: Lanore, 2008. Tradução de Dominique Stoenesco.

O pêndulo de Euclides (Romance). Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2009.

A mulher dos sonhos e outras histórias de humor. Itabuna: Via Litterarum, 2010.

Memorial dos corpos sutis. Salvador: Caramurê, 2012.

As marcas da cidade. (contos).Salvador: Caramurê, 2012.

La femme de rêve . Humour croustillant sur les rapports humains. Montreal, Canada: Marcel Broquet, 2013. Traduction de Danielle Forget ET Claire Varin.

Il sapore delle nuvole. (O sabor das nuvens). Salvador: Via Litterarum, 2015. Tradução de Antonella Rita Roscilli.

Poesia:

Movimento de Sondagem (Coleção dos Novos, vol. 3). Salvador: Funceb, 1981.

O espelho da Consciência. Salvador: Gráfica da UFBA, 1984.

Teoria particular (mas nem tanto) do poema. São Paulo: Edição d’Kaza, 1994.

As formas do barro & outros poemas. Salvador: EPP – Publicações e Publicidade, 2006.

Une rivière dans les yeux / Um rio nos olhos. Ilhéus: Mondrongo; Itabuna: Via Litterarum, 2012. Tradução de Dominique Stoenesco.

Un río em los ojos. New Orleans: University Press of the South, 2013. Tradução de Alain Saint-Saëns

Ensaio:

Enredo romântico, música ao fundo. Manifestações lúdico-musicais no romance urbano do Romantismo. Rio de Janeiro: 7Letras, 1996.

Guimarães Rosa (1908-2008): écrivain brésilien centenaire. Bruxelas: Orfeu Livraria Portuguesa e Galega, 2008. (Edição trilíngue: português, francês e holandês).

O arlequim da Pauliceia. Imagens de São Paulo na Poesia de Mário de Andrade. São Paulo: Geração Editorial; Feira de Santana: UEFS Editora, 2012.

” Obras disponíveis em: http://www.livrariacultura.com.br


Principais Obras Publicadas

As Marcas da Cidade
2012, Caramurê

Sete contos passados no mesmo palco, a cidade de Salvador, que será mais do que mero ambiente para que as histórias aconteçam, já que participa das tramas com seus encantamentos, com suas contradições, com seus sítios históricos, e até com algum dos seus sinistros mais famosos.

Este livro oferece ao leitor 25 narrativas curtas, com jeito de relatos e toques de imaginação, cheias de ironia e sentido de humor São histórias inusitadas e hilariantes, mas, ao mesmo tempo, realistas, que, embora bizarras, parecem ser recolhidas da vida cotidiana O autor controla a intensidade da narração e … Ler mais

O Pêndulo de Euclides
2009, Bertrand Brasil

A obra do escritor, que homenageia o centenário de morte do escritor Euclides da Cunha, segue o caminho de seu antecessor Nhô Guimarães: romance-homenagem a Guimarães Rosa e se mostra como um texto de leveza singular e de intensa relação com o espaço sertanejo.

Nhô Guimarães
2006, Bertrand Brasil

Concebido como uma homenagem ao escritor João Guimarães Rosa, no cinquentenário de ‘Grande Sertão – Veredas’, o romance ‘Nhô Guimarães’ é um saboroso ‘As mil e uma noites’ sertanejo. Trabalhando a linguagem de forma imaginativa, o autor cria uma personagem que, ao narrar histórias e causas, em boa parte inspiradas … Ler mais

O Desterro dos Mortos
2001, Relume Dumará

Um conjunto de contos do escritor Aleilton Fonseca, com linguagem simples e elegante numa profusão de vivências. Uma prosa simples, atraente, com leveza digna de um grande escritor. A marca das narrativas, a morte, instiga o leitor para o pensar na existência.


Comprar livros de Aleilton Fonseca: VER LIVRARIAS


Notícias

De momento, não temos noticias sobre este escritor.

Comentar