Agustina Bessa-Luís

com Sem comentários

Escritores > Agustina Bessa-Luís

Data Nasc: 15/10/1922 Naturalidade: Vila Meã, Amarante

Na web: Facebook


Agustina Bessa-Luís (Maria Agustina Ferreira Teixeira Bessa) nasceu em Vila Meã, Amarante, a 15 de outubro de 1922. A família do seu pai era do Norte do país e a sua mãe era de origem espanhola.

Viveu durante a infância e adolescência na região de Entre-Douro e Minho e depois em Coimbra até 1948. Casou em 1945 com Alberto de Oliveira Luís. A partir de 1948 fixou residência no Porto.

Na juventude chega a escrever dois romances com o pseudónimo de Maria Ordoñes: o primeiro Ídolo de Barro, que não publica, e o segundo Deuses de Barro do qual desapareceu o manuscrito, mas existe o datiloscrito.

Começou a escrever aos 16 anos e em 1950 publicou o seu primeiro romance, “Mundo Fechado”. O reconhecimento chegaria em 1952, com a atribuição do Prémio Delfim de Guimarães ao livro “Sibila”, galardoado no ano seguinte com o Prémio Eça de Queiroz.

Estreou-se no teatro em 1958 com “O Inseparável”.

Foi membro do conselho diretivo da Comunitá Europea degli Scrittori (Roma, 1961-1962).

Entre 1986 e 1987 foi Diretora do diário O Primeiro de Janeiro (Porto). Entre 1990 e 1993 assumiu a direção do Teatro Nacional de D. Maria II (Lisboa) e foi membro da Alta Autoridade para a Comunicação Social.

É membro da Academie Européenne des Sciences, des Arts et des Lettres (Paris), da Academia Brasileira de Letras e da Academia das Ciências de Lisboa, tendo já sido distinguida com a Ordem de Sant’Iago da Espada (1980), a Medalha de Honra da Cidade do Porto (1988) e o grau de “Officier de l’Ordre des Arts et des Lettres”, atribuído pelo governo francês (1989).

Recebeu o Globo de Ouro por Mérito e Excelência da Gala 2001 dos Globos de Ouro.

Em maio de 2002, Agustina Bessa-Luís é, pela segunda vez, contemplada com o Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores (APE), relativo a 2001, com a obra “O Princípio da Incerteza – Jóia de Família”, obra que Manoel de Oliveira adaptou ao cinema com o título “O Princípio da Incerteza”, e que foi exibido dias antes da atribuição deste prémio, no Festival de Cannes.

Agustina Bessa-Luís foi distinguida com os prémios Vergílio Ferreira 2004, atribuído pela Universidade de Évora, pela sua carreira como ficcionista, e Prémio Camões 2004, considerado o mais importante prémio literário da língua portuguesa.

A 22 de março de 2005 foi distinguida, juntamente com o poeta Eugénio de Andrade, com o doutoramento “Honoris Causa”, atribuído pela Universidade do Porto durante a cerimónia do 94.º aniversário da sua fundação.

Foi distinguida com o Doutoramento Honoris Causa pela Universidade Tor Vergata de Roma em 2008.

Nesse mesmo ano, a Estoril Sol institui O Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís em sua homenagem, um prémio atribuído anualmente a romances inéditos de escritores portugueses estreantes.

Foi criada, em 2012, a associação O Círculo Literário Agustina Bessa-Luís que tem por objeto específico ser um lugar de encontro de leitores e admiradores da obra de Agustina Bessa-Luís.

A escritora foi, também,  a vencedora da 11.ª edição do prémio Eduardo Lourenço em 2015.


Principais Obras Publicadas

Deuses de Barro
2017, Relógio d'Água

Deuses de Barro foi escrito por Agustina Bessa-Luís aos dezanove anos, permanecendo até hoje inédito. «“Nós devemos escrever sobre aquilo que conhecemos”, foi sempre o conselho dado por Agustina aos que se iniciavam na escrita. E foi por onde também começou — pelo mundo rural que tão bem conhecia, a … Ler mais

São recolhidas neste volume as crónicas literárias, de Agustina Bessa-Luís, que foram emitidas entre 6 de Outubro de 1978 e 23 de Fevereiro de 1979, a convite da Radiodifusão Portuguesa. A liberdade de selecção não teve limites. «A rubrica desta crónica é extremamente inspiradora. Deixa-me pegar da pena e obrigar … Ler mais

Colar das flores bravias
2015, Labirinto de Letras

Segundo a apresentação de Alberto Luís, seu marido e constante companhia na sua escrita “Colar de Flores Bravias foi escrito em 1947, muitos anos depois de a Autora abandonar a ficção luxuriante das suas primeiras criações romanescas, para nos relatar episódios do seu contacto com o mundo exterior. O conto … Ler mais

Três mulheres com Máscara de Ferro
2014, Guimarães Editores

«Três Mulheres com Máscara de Ferro, texto inédito assinado por Agustina Bessa-Luís, em 7 de Março de 1998, sem designação de género, é constituído por três breves páginas densamente manuscritas, como é habitual na autora, e apresenta-se como um diálogo dramático em um acto, envolvendo três mulheres. Quem são essas … Ler mais

«Esta obra orienta-se, fundamentalmente, à volta de três linhas matriciais. Perscruta a locução testemunhal que descreve um perfil biográfico plasmado em confidências que, dando conta de um percurso de vida, delineia os meandros da criação; destrinça os bastidores da vida e da crítica literária do tempo da escrita claramente explicativos … Ler mais

Caderno de significados
2013, Guimarães Editores

«Os papéis dispersos de um escritor exprimem subitamente as pequenas dimensões da vida criadora; e, ao serem recolhidos em volume, permitem uma breve leitura que dura o tempo inteiro de uma obra. Os escritos aqui reunidos, muitos sem data, encontram-se em folhas soltas, em cadernos de notas, em espaços brancos … Ler mais

Kafkiana
2012, Guimarães Editores

“Os textos aqui reunidos não constituem capítulos avulsos duma biografia de Kafka; apenas compõem um breve quadro de meditações literárias sobre a situação do homem kafkiano face ao mundo e a ele próprio. // Quem como eu, por razões de estudo, se interessou vivamente por um autor (trata-se de Franz … Ler mais

Cividade
2012, Guimarães Editores

«Eu vivi em muitos lugares, e de um deles tenho a ideia estranha de que lá vivi por necessidade da minha iniciação no fantástico. Era uma terra perdida, ao norte de Bagunte, nome já por si cancioneiro e razoável de eficácia romântica. A casa em ruínas, com uma nogueira centenária … Ler mais

O Chapéu das Fitas a Voar
2008, Guimarães Editores

Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para a Formação de Adultos, como sugestão de leitura. Estes “escritos auto-biográficos” são – como dizem os organizadores – “uma chave para os mundos fechados de Agustina.” Inclui textos já publicados, a começar por Dentes de Rato – um dos maiores êxitos de público … Ler mais

O Dourado
2007, Editor Minutos de Leitura

Um conto juvenil de Agustina Bessa-Luís, com um toque de fantástico e cujo imaginário nos faz recordar as histórias do Zé do Telhado. Uma história que pode funcionar como uma primeira introdução para crianças ao estilo de Agustina. Esta edição conta com as ilustrações de Helena Simas, autora e ilustradora … Ler mais

As Chamas e as Almas
2007, Guimarães Editores

Sob o título de As Chamas e as Almas, reuniram-se dois romances de Agustina Bessa-Luís há muito esgotados: a Crónica do Cruzado Osb (1976) e As Fúrias (1977). Escritos nos anos críticos da revolução iniciada em 25 de Abril de 1974, ficcionam de modo indelével a vida social íntima e … Ler mais

Quem foi Viriato? Porque se davam mal D. Afonso Henriques e a sua mãe, D. Teresa? Terá Salazar sido amado em vida? Fama e Segredo na História de Portugal está organizado em 12 óperas, que nos levam numa viagem pelo tempo, para descobrir os segredos e mistérios por detrás de … Ler mais

A ronda da noite
2006, Guimarães Editores

Há muitas gerações que os Nabasco vivem sob a presença discreta e a posse de um quadro de grandes dimensões, uma cópia da famosa obra de Rembrandt, Ronda da Noite. A sua interpretação está ainda hoje sujeita a controvérsia e a inúmeras vicissitudes, tal como sucedeu no seio dos Nabascos, … Ler mais

Doidos e Amantes
2005, Guimarães Editores

Este romance comandado pela ordem dos factos, e que foi primeiro dado a público como folhetim, tem agora outro formato. Terá também outra clientela. Ele é tecido na violência secreta, contrapeso indispensável do sufrágio universal. Maria Adelaide é uma mulher munida duma alegria negra que é a de escapar ao … Ler mais

Antes do Degelo
2004, Guimarães Editores

A figura do duplo está mais uma vez presente nas personagens José Rui e Genaro. O romance Crime e Castigo, de Dostoievski, actua como a interpretação dos sonhos. Como o sonho, ele desempenha uma função anti-cultural, protegendo o desejo de dormir e assim renunciando a qualquer problema cultural. O tema … Ler mais

O Livro de Agustina (autobiografia)
2002, Três Sinais (reed. Guerra&Paz em 2014)

Para comemorar os 80 anos de Agustina Bessa-Luís, a editora Três Sinais lança na semana do aniversário da escritora “O Livro de Agustina”, onde a autora de “A Sibila” revisita o passado. A sua vida, a família, os locais. O livro, com um belíssimo arranjo gráfico de Luís Miguel Castro, … Ler mais

Contemplação Carinhosa da Angústia
2000, Guimarães Editores

Compilação de reflexões, conferências e comunicações que a escritora tem vindo a produzir ao longo da sua vida literária, organizadas por Pedro Mexia. Como nos dois volumes de “Alegria do Mundo”, os seus anteriores livros de textos dispersos, o génio e a verve de Agustina Bessa-Luís em “Contemplação Carinhosa da … Ler mais

A Quinta Essência
1999, Guimarães Editores

O romance da escritora Agustina Bessa-Luís tem em Macau o “centro inacabado duma epopeia”. E começa no Porto, das “ondas bravas do Cabo do Mundo” à casa dos Pessanha, na Rua dos Mártires, com o seu jardim de japoneiras, que foi ocupada a seguir à revolução de Abril, tinha José … Ler mais

O Comum dos Mortais
1998, Guimarães Editores

Um romance que nos fala de um famoso governante português, lidando com a dualidade do seu carácter e mostrando as contradições de toda uma época. Nas badanas: «Não se iluda o leitor se ouvir dizer que se trata de um livro polémico. É um livro escrito com as mãos abertas … Ler mais

Um Cão que Sonha
1997, Guimarães Editores

É um livro construído sobre uma pessoa morta. Sobre um passado e os seus despojos, como os que se encontram num túmulo há muito fechado. Poeira que foi carne e sentimento, talento e verdade. Não é provável que alguém vá interpretar esses indícios que escapam à posteridade. Mas ela está … Ler mais

Memórias Laurentinas
1996, Guimarães Editores (reed.2010)

«As Memórias Laurentinas, ou as memórias dos Lourenços, cobrem toda uma época de narrativa pessoal em que se registam os costumes e o sentimento da tradição duma região cara à autora. Baseadas num diário de família, em que os episódios seguem a corrente da história, mantendo a distância suficiente para … Ler mais

O Concerto dos Flamengos
1994, Guimarães Editores (reed.2013)

«Trata-se duma obra com tendências utópicas em que o pensamento histórico se mistura com um ingrediente saboroso. Quem é Isabel de Borgonha, perseguindo um ideal que não é apenas a derrota do turco e, para isso, a construção duma frota com mil mastros que vão ao céu subindo e que … Ler mais

As Terras do Risco
1994, Guimarães Editores

Este romance decorre na Arrábida, onde há muitos séculos o homem conhece a confrontação com a sua própria obscuridade, dando-lhe às vezes o nome de Deus, outras de rei ou de poderes telúricos, terramotos e tempestades. É um romance que Goethe teria aberto, recomendando-o a Eckermann, mas sem o ler… … Ler mais

Ordens Menores
1992, Guimarães Editores

Um romance de Agustina junta contrários efeitos que se consumam no fenómeno da escrita. É uma prova de boa prosa, de sentimento local e de experiência universal. Portanto, um documento. Ler Agustina é sempre privar com o mistério da pessoa. Não podemos, como ela diz, chegar à essência do negativo, … Ler mais

Vale Abraão
1991, Guimarães Editores (reed.2014)

Plano Nacional de Leitura / Livro recomendado para a Formação de Adultos como sugestão de leitura. «A recriação duma Bovary, destinada a servir de guião para um filme de Manuel de Oliveira, trouxe à Autora a necessidade de descobrir a natureza flaubertiana que concebeu Ema e a tomou como seu … Ler mais

Vento, Areia e Amoras Bravas
1990, Guimarães Editores

Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para o 3º ciclo, destinado a leitura autónoma. «Vento, Areia e Amoras Bravas» é um título dançarino. Todo ele mexe e convida a dançar e arrasta o movimento da juventude que depois vai conduzir à idade consular. A toga vai suceder à sandália e … Ler mais

Eugénia e Silvina
1989, Guimarães Editores (reed.2015)

«Este livro de Agustina Bessa-Luís opera como uma câmara zoom sobre os acontecimentos da Malhada, a começar desde os tempos em que a primeira proprietária, uma liberal fanática, ascendeu ao baronato. Drama de comportamento, situação de paixão e desespero, a alma do crime vai-se acumulando como no inferno se acumula … Ler mais

Dentes de Rato
1987, Guimarães Editores (reed.2012)

Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para o 7º ano de escolaridade, destinado a leitura orientada. «Lourença tinha três irmãos. Todos aprendiam a fazer habilidades como cãezinhos, e tocavam guitarra ou dançavam em pontas dos pés. Ela não. Era até um bocado infeliz para aprender, e admirava-se de que lhe … Ler mais

A Corte do Norte
1987, Guimarães Editores (reed.2008)

Este livro de Agustina Bessa-Luís é um tratado de livres caudais do engenho e da arte de escrever. A imaginação, como as levadas da Ilha da Madeira, salta por todas as fragas e produz lagos e cataratas, nada a prende e tudo a modela. Ler Agustina Bessa-Luís é, neste caso, … Ler mais

A Monja de Lisboa
1985, Guimarães Editores

“… A história de Maria de Menezes, a que foi em religião soror Maria da Visitação, a monja de Lisboa, ensina-nos que o romance não tem época, só os romancistas é que a têm…”

Um Bicho da Terra
1984, Guimarães Editores (reed.2005)

É um livro experiente, trazido dos abismos em que as altivas mensagens se purificam com a morte da esperança sagaz. Assim as paixões nascem da bondade dos deuses, que tudo no incerto escondem. Um Bicho da Terra narra a vida tumultuosa de Uriel da Costa, judeu converso do Porto que, … Ler mais

A Memória de Giz
1983, Contexto (reed.1994)

A capa desta edição da Memória de Giz apresenta um desenho da própria Agustina Bessa-Luís, assim se exibindo, pela primeira vez, uma outra faceta do seu inesgotável espírito criador. A Memória de Giz é o primeiro dos contos dirigidos aos leitores mais jovens escrito por Agustina Bessa-Luís, em 1983.

Adivinhas de Pedro e Inês
1983, Guimarães Editores (reed.1997)

A história de Pedro e Inês recebe aqui um tratamento a situá-la na sua figura própria, que é o carácter da pessoa. A verdade é um estado de fé. Descobrir nos arquivos os sinais dos acontecimentos é menos importante do que descobrir a maturidade do tempo em que os acontecimentos … Ler mais

Os Meninos de Ouro
1983, Guimarães Editores (reed.2010)

«Nos lugares remotos do Gerês há uma planta que produz um lírio azul, planta endémica e maravilhosa. Não sei se se encontra na Serra Amarela ou nas ravinas das Terras do Bouro; pode crescer nos fojos abrigados pelo mosteiro beneditino que foi defesa fronteira. Não sei. Penso nela como sendo … Ler mais

A Mãe de um Rio
1981, Guimarães Editores (reed.2014)

Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para o 3º ciclo, destinado a leitura autónoma. «Esta é a história da mãe de um rio, que tinha vivido mais de mil anos, a ponto de os homens esquecerem a sua existência. Também os vigilantes do espírito humano precisam de ser rendidos, e … Ler mais

O Mosteiro
1980, Guimarães Editores (reed.2009)

Prémio PEN Clube Português (1980) / Prémio D. Dinis – Fundação da Casa de Mateus (1981) Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para o Ensino Secundário como sugestão de leitura. O Mosteiro é um dos mais significativos e premiados romances de Agustina Bessa- Luís. Romance feito de cruzamentos entre o … Ler mais

Fanny Owen
1979, Guimarães Editores (reed.2009)

Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para o Ensino Secundário como sugestão de leitura. Este romance baseia-se em factos verídicos ocorridos no século XIX, no meio da juventude boémia, mas intelectual, do Porto, da qual fazia parte o escritor Camilo Castelo Branco. Retrata a vida de um jovem, filho dum … Ler mais

As Fúrias
1977, Guimarães Editores

“… O general escrevia agora as suas memórias, olhando os vidros das janelas batidos pela chuva e pensando que de todas as suas decepções se podia fazer uma revolução universal. Tudo o que é íntimo em cada homem exprime-se pela revolta…”

Crónica do Cruzado OSB
1976, Guimarães Editores (reed.2015)

«A Crónica do Cruzado Osb. assinala uma experiência singular na trajectória da romancista. Aqui os vários casos, as personagens e “fábulas” mais ou menos embrionárias subordinam-se, no conjunto do livro, a uma crónica da Revolução de Abril, analisada nas suas primeiras fases e tomada sobretudo como reiterado tema de meditação.» Jacinto do … Ler mais

O Sermão do Fogo
1962, Guimarães Editores (reed.1995)

«… mas antes do meio século, meus amigos, ninguém tem história. A história duma mulher galante, dum político, dum artista ou até de um homem comum é, acima de tudo, a história da sua consciência, movida não só por circunstâncias, mas também pela sua realidade como ente memória, como testemunha. … Ler mais

O Manto
1961, Guimarães Editores (reed.2016)

«A vida é como um manto em que se arrastam todas as fúrias e ternuras do mundo, e que deixa ficar por toda a parte alguma coisa do seu calor e do seu peso. O manto estende-se e envolve-se, descobre e oculta, agasalha e expõe ao frio; o manto é … Ler mais

Ternos Guerreiros
1960, Guimarães Editores (reed.2010)

No início do prefácio de Ternos Guerreiros, Agustina Bessa-Luís diz: “Não é a primeira vez que alguém pega numa pena para escrever estas palavras: os tempos mudaram”. Esta obra fala da percepção da mudança dos tempos. Pastores, homens de letras, poetas, entre outros são os verdadeiros ternos guerreiros entre todos … Ler mais

O Susto
1958, Guimarães Editores

Segundo António Quadros, em verbete de leitura para o serviço das Bibliotecas Itinerantes da Fundação Calouste Gulbenkian, «Trata-se, quanto a nós, do melhor romance de Agustina Bessa Luís. É a biografia de um poeta, que tem sido identificado como Teixeira de Pascoais. Mas é sobretudo uma extraordinária visão da faculdade … Ler mais

A Muralha
1957, Guimarães Editores

Da História da Literatura Portuguesa (António José Saraiva / Óscar Lopes, Porto Editora, 10.ª ed., Porto, 1978): «[…] Uma das feições mais notáveis do pós-guerra é o desenvolvimento da ficção de autoria feminina, fenómeno aliás universal, mas entre nós de extraordinário relevo histórico-social e temático. […] Algumas das melhores revelações femininas podem … Ler mais

Os Incuráveis
1956, Guimarães Editores (reed.2014)

«… Naquela sala cujo papel de parede simulava brocado amarelo, os dois retratos pareciam desligados de todo o ambiente, dos sofazinhos Luís XV, cujos floreios de madeira partidos tinham sido ligados com uma cola negra e que, regurgitando e secando, ficara com um relevo precioso, de ébano. Pela força da … Ler mais

A Sibila
1954, Guimarães Editores (reed.2014)

Plano Nacional de Leitura / Livro recomendado para a Formação de Adultos como sugestão de leitura. No norte de Portugal, em finais do século XIX, na propriedade da Vessada, há já muito tempo que são as mulheres que, perante a indolência e os sonhos de evasão que os homens alimentam, … Ler mais

Contos Impopulares
1951, Guimarães Editores (reed.2004)

Recolha de contos de Agustina, onde a influência de Kafka, nos temas escolhidos, se faz sentir. “Os Contos Impopulares” significaram na carreira de Agustina um contacto com o dramático produzido pelas associações que a própria história do escritor pôs a claro. Kafka teve, nessa época, profunda influência nos temas de … Ler mais

Mundo Fechado
1948, Guimarães Editores (reed.2005)

A primeira obra que Agustina Bessa-Luís escreveu, publicada em 1948 e esgotada desde então, classificada de raridade bibliográfica, foi reeditada pela Guimarães Editores. Esta novela constitui uma antecipação de A Sibila, quer pela temática, quer pelo estilo que tornariam famosa e um dos primeiros representantes na literatura portuguesa a sua Autora, que … Ler mais


Comprar livros de Agustina Bessa-Luís: VER LIVRARIAS

Comentar