Adélia Prado

com Sem comentários

Escritores > Adélia Prado

Data Nasc: 13/12/1935 Naturalidade: Divinópolis, Minas Gerais

Na web:


Biografia

Adélia Luzia Prado de Freitas (Adélia Prado), escritora brasileira, nasceu em Divinópolis, Minas Gerais, a 13 de dezembro de 1935.

Em 1973, já casada e com cinco filhos, forma-se em Filosofia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Divinópolis.

Foi professora, durante 24 anos, em vários estabelecimentos de ensino, onde lecionou Educação Religiosa, Moral e Cívica, Filosofia da Educação, Relações Humanas e Introdução à Filosofia.

Em 1975, Carlos Drummond de Andrade sugere a Pedro Paulo de Sena Madureira, da Editora Imago, que publique o livro de Adélia, cujos poemas lhe pareciam “fenomenais”. O livro ‘Bagagem’ é lançado no Rio, em 1976, com a presença de Antônio Houaiss, Raquel Jardim, Carlos Drummond de Andrade, Clarice Lispector, entre outros.

Em 1978 publica o livro ‘O coração disparado’, galardoado com o Prémio Jabuti. Publica, um ano depois, o livro ‘Soltem os cachorros’.

Em 1980, dirige o grupo teatral amador Cara e Coragem e, um ano depois, lança o livro ‘Terra de Santa Cruz’.

De 1983 a 1988 exerce as funções de Chefe da Divisão Cultural da Secretaria Municipal de Educação e da Cultura de Divinópolis.

Participa, em 1985, em Portugal, de um programa de intercâmbio cultural entre autores brasileiros e portugueses, e em Havana, Cuba, do II Encontro de Intelectuais pela Soberania dos Povos de Nossa América.

Apresenta-se, em 1988, em Nova York, na Semana Brasileira de Poesia. Participa, em Berlim, Alemanha, do Línea Colorada, um encontro entre escritores latino-americanos e alemães.

Volta, em 1993, à Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Divinópolis, integrando a equipe de orientação pedagógica.

Em 1994, Adélia Prado regressa à publicação com o livro “O homem da mão seca”. Conta a autora que o livro foi iniciado em 1987, mas, depois de concluir o primeiro capítulo, foi acometida de uma crise de depressão, que a bloquearia literáriamente por um longo período.

Em 1999, são lançados os livros ‘Manuscritos de Felipa’ e ‘Oráculos de maio’.

Estreia-se, em 2006, na literatura infantil, com o livro ‘Quando eu era pequena’.

Em 2010, publica o livro de poesia ‘A Duração do Dia’, que expõe uma poetisa sutil em versos que falam de amor, desejos, frustrações, sonhos.

Algumas das suas obras estão traduzidas para inglês, italiano e espanhol. Tem trabalhos dispersos em várias antologias de poesia e contos.

 

Obras publicadas:

 

Poesia:

Bagagem, Imago, 1975;

O Coração Disparado, Nova Fronteira, 1978;

Terra de Santa Cruz, Nova Fronteira, 1981;

O Pelicano, Rio de Janeiro, 1987;

A Faca no Peito, Rocco, 1988;

Oráculos de Maio, Siciliano, 1999;

Louvação para uma Cor;

A duração do dia, Record, 2010.

Prosa:

Solte os Cachorros, contos, Nova Fronteira, 1979

Cacos para um Vitral, Nova Fronteira, 1980;

Os Componentes da Banda, Nova Fronteira, 1984;

O Homem da Mão Seca, Siciliano, 1994;

Manuscritos de Filipa, Siciliano, 1999;

Filandras, Record, 2001;

Quero minha mãe, Record, 2005;

Quando eu era pequena, record, 2006;

Carmela Vai à Escola, Record, 2011;

Cantiga dos Meninos Pastores, Editora Gulliver, 2016.

Antologias, Coautorias e Coletâneas:

A Lapinha de Jesus (com Lázaro Barreto), Vozes, 1969;

Mulheres & Mulheres, Nova Fronteira, 1978;

Palavra de Mulher, Fontana, 1979;

Contos Mineiros, Ática, 1984;

Poesia Reunida, Siciliano, 1991 (Bagagem, O Coração Disparado, Terra de Santa Cruz, O Pelicano e A Faca no Peito);

Caminhos de Solidariedade (com Lya Luft, Marcos Mendonça e outros), Gente, 2001;

Antologia da Poesia Brasileira, Embaixada do Brasil em Pequim, 1994;

Prosa Reunida, Siciliano, 1999;

Com Licença Poética, Cotovia, 2003;

Reunião de Poesia, Record, 2013;

Tudo o que existe Louvará, Assírio & Alvim, 2016



Principais Obras Publicadas

Tudo o Que Existe Louvará
2016, Assírio & Alvim

«Adélia provoca escândalo. A expressão cultual, como nos avisam as diversas tradições litúrgicas, é intimamente corporal. Os sacramentos pedem matéria (água no Batismo, o óleo da unção na Confirmação, pão e vinho na Eucaristia, etc.), porque o espiritual supõe o sensível. Com efeito, os êxtases espirituais de Teresa viam-se no … Ler mais

Com Licença Poética
2003, Cotovia

O critério da selecção dos poemas para a antologia Com licença poética ‘obedeceu simplesmente ao propósito de apresentar, livro a livro, os melhores poemas de Adélia Prado’ (Abel Barros Baptista). A antologia está assim organizada em seis secções, que correspondem aos seis títulos da obra poética de Adélia Prado: Bagagem (1976), O coração disparado (1978), Terra de … Ler mais

Solte os Cachorros
2003, Cotovia

Solte os cachorros, publicado no Brasil em 1979 é um livro de contos, segundo a catalogação do editor brasileiro, não deixando no entanto de ser, como a autora explica, um prolongamento da sua poesia: “Eu não sei como isso acontece com outros autores, mas se eu pretender e fizer um … Ler mais

Bagagem
2002, Cotovia

Primeiro livro da poetisa, publicado no Brasil em 1975. “Adélia é lírica, bíblica, existencial, faz poesia como faz bom tempo: esta é a lei, não dos homens, mas de Deus. Adélia é fogo, fogo de Deus em Divinópolis. Como é que eu posso demonstrar Adélia, se ela ainda está inédita … Ler mais


Comprar livros de Adélia Prado: ALMEDINA | BERTRAND | BULHOSA | FNAC | LEYA | WOOK


Comentar